3 filmes baseados em games vs. 3 filmes sobre games | Cinematecando

Posted On 28/03/2018 By In Filmes, Listas

3 filmes baseados em games vs. 3 filmes sobre games

Diversão sem joystick

Percebe-se desde sempre uma trajetória diferente entre os filmes baseados em videogames e aqueles que apenas comentam o meio. Com o novo Tomb Raider já em cartaz e Jogador Nº 1 estreando amanhã nos cinemas, separamos ótimas dicas que contemplam os dois tipos de adaptação. Quais são melhores? Você escolhe.


Filmes baseados em games

Lara Croft: Tomb Raider (2001)

A primeira adaptação da personagem Lara Croft para o cinema foi, no mínimo, injustiçada. Claro, é um filme repleto de canastrices e exageros, mas o que podia se esperar da história de uma aventureira que invade tumbas e luta com monstros? Embora o longa de Simon West siga a linha hipersexualizada estabelecida para a personagem na década de 90, a Lara de Angelina Jolie ainda chuta muitos traseiros com a imponência esperada. Os momentos de ação também traduzem com eficácia a aventura vista nos jogos, com uma boa dose de fantasia (algo que faltou um cadinho no reboot com a ótima Alicia Vikander).

Mortal Kombat (1995)

Talvez a primeira adaptação cinematográfica notável de games. Lançado após fracassos como Street Fighter, Super Mario Bros e Double Dragon, o filme de Paul W.S. Anderson se destacou em seu lançamento não só por ser fidedigno ao espírito e visual dos jogos, mas também pela falta de vergonha como prazer culposo. Todos sabem que MK é uma franquia que não tem medo do ridículo, com personagens caricatos e finalizações exageradamente grotescas. Por mais que a censura implicasse numa relativa falta de sanguinolência, Mortal Kombat, o filme, fez o melhor que pode com o material de origem, nunca deixando de entreter. Passem longe da péssima sequência, A Aniquilação.

Resident Evil – O Hóspede Maldito (2002)

Se filmes de games fossem Hollywood, então Paul W.S. Anderson seria seu Cecil B. DeMille. Após deixar uma impressão com Mortal Kombat e Dead Sp… quero dizer O Enigma do Horizonte, Anderson deu início ao que seria a maior franquia de filmes inspirados em games com O Hóspede Maldito. Apesar da série pesar cada vez mais para o trash com cada capítulo lançado, o primeiro de todos criava com sucesso a atmosfera de tensão e violência presente nos jogos clássicos. Mesmo com diversas liberdades tomadas na adaptação, o que pode ter sido de grande ajuda, 0 resultado final foi fiel e reverente à sua origem. Diga-se de passagem, a trilha composta por Marco Beltrami e Marilyn Manson é ótima!


Filmes sobre games

Detona Ralph (2012)

Um dos primeiros grandes sucessos da Walt Disney Animation Studio, Detona Ralph fez a tradução da mídia game para cinema parecer fácil. Atendo-se à lógica dos jogos eletrônicos e ainda brincando com seus diferentes subgêneros, o filme também apresentou diversas pontas de personagens icônicos, como Sonic, Zangyef e outros. E mesmo com todo um espetáculo visual e sonoro à parte, a história criava um vínculo emocional entre o espectador e a aventura, usando elementos de games para transmitir sentimentos e ideias. A sequência, que irá explorar a internet, pode aproveitar a febre dos jogos online com muita inteligência!

eXistenZ (1999)

David Cronenberg e videogames, quem diria. O cineasta canadense já flertou com outro meio eletrônico antes, a televisão em Videodrome, e com eXistenZ torna o conceito de games em realidade virtual astronomicamente mais sinistro do que já era. Numa narrativa rocambulesca e intencionalmente confusa, os personagens de Jude Law e Jennifer Jason Leigh se veem presos a um mundo traiçoeiro através de um “console” de aparência grotesca. Já que se trata de Cronenberg, a escatologia não para por aí, e a cena da sopa de frutos do mar consta como um dos momentos visualmente mais marcantes de sua filmografia.

Jogos de Guerra (1983)

Com uma nova websérie a caminho, o thiller teen de John Badham aproveitou a paranoia da Guerra Fria e o estouro dos videogames na década de 80 para criar uma experiência tensa e memorável, que serve de referência até hoje. Um jovem Matthew Broderick (naquele tempo um aspirante a galã) é um hacker que decide alterar suas notas escolares e se depara com um sistema computacional desconhecido, que o desafia para um perigoso jogo. O filme cunhou a famosa frase “Shall we play a game?”, e no mesmo momento o ingênuo protagonista sugere um chamado guerra termonuclear. Onde estava Elliot Alderson nesse instante?


Confira outras listas aqui.

Tags : , , , , , , , , , , ,

Formado em Rádio, TV e Internet pela Faculdade Cásper Líbero (FCL). É redator no Cinematecando desde 2016.