5 grandes atuações por atores e atrizes não profissionais | Cinematecando

Posted On 09/03/2018 By In Filmes

5 grandes atuações por atores e atrizes não profissionais

A vida pode ser uma escola de atores e atrizes

Para a lista de hoje, fiquei com sérias dúvidas. Falaria sobre tubarões, na ocasião da estreia de Medo Profundo? Ou falaria de não-atores, por causa do novo filme de Clint Eastwood, 15:17 – Trem para Paris? Pensei a princípio em juntar os dois, fazendo uma lista de melhores tubarões do cinema que não são atores. No entanto, isso já era implícito, afinal ninguém contrata tubarões em Hollywood. Brincadeiras à parte, confira abaixo 5 atuações de peso entregues por atores e atrizes não profissionais (humanos, é claro).


Kitana Kiki Rodriguez e Mya Taylor, Tangerine

Recrutadas pelo o diretor Sean Baker (Projeto Flórida), as atrizes trans Kitana Rodriguez e Mya Taylor são donas de um carisma natural reluzente, o que com certeza se reflete no comovente e divertido Tangerine. A natureza irreverente do filme, captado em dois iPhones 5s, então cai como uma luva, dando às duas o espaço para construir personagens únicas e uma das mais tocantes amizades vistas no cinema em anos recentes. Torço para que Rodriguez e Taylor voltem à sétima arte.


François Bégaudeau, Entre os Muros da Escola

Além de ganhar a Palma de Ouro em Cannes, este drama do diretor Laurent Cantet (A Trama) retrata a vida dentro de uma escola pública na França, e para atingir o máximo de verossimilhança, Cantet chamou o professor François Bégaudeau para ser não só um de seus roteiristas, mas também o protagonista de seu longa. O resultado é simplesmente formidável, pois Bégaudeau traz uma sinceridade incomum nas suas interações com o grande elenco de alunos. Falando nisso, o jovem elenco de Entre os Muros da Escola poderia ganhar uma lista só pra eles.


Alex Hibbert, Moonlight – Sob a Luz do Luar

Uma das maiores injustiças do Oscar 2017 foi deixar este ator-mirim de fora das indicações de Moonlight. Com uma interpretação incomumente madura para sua idade, Alex Hibbert constrói com sutileza a fase mais delicada da vida do protagonista Chiron, que ainda não sabe que é gay. Fora a questão da sexualidade, ainda há uma rica interação com o traficante Juan, que leva a alguns dos momentos mais entristecedores do longa, nos quais Hibbert também demontra eficiência e postura ao se segurar frente a um ator do calibre de Mahershala Ali. Pisquem e o perderão em Pantera Negra!


Leandro Firmino, Cidade de Deus

Não é possível montar uma lista de atores não-profissionais e deixar de fora o icônico Leandro Firmino, eternizado pelo papel de Dadinho/Zé Pequeno. Dono de algumas das cenas e falas mais memoráveis do cinema nacional (“Dadinho é o c@#$lho!”), Firmino, que pretendia ser militar, fez parte do premiado filme de Fernando Meirelles após a indicação de um amigo. Infelizmente é um dos poucos do elenco a não cair no ostracismo, algo que gerou questionamentos sobre o método de casting em uma futura série baseada no filme. Como meio de contemplar jovens aspirantes da periferia, Firmino ministra oficinas de interpretação.


Confira mais listas aqui.

Formado em Rádio, TV e Internet pela Faculdade Cásper Líbero (FCL). É redator no Cinematecando desde 2016.