Artigos | Cinematecando
O conceito de cinema traficante, muito bem explicado por Martin Scorsese em seu documentário Uma Viagem Pessoal Pelo Cinema Americano, é um tema essencial para entender a questão da autoria no cinema dos Estados Unidos. Scorsese explicita ali como, trabalhando num rígido sistema de estúdios onde os produtores e mandatários de companhias cinematográficas eram os grandes donos dos filmes na antiga Hollywood, alguns diretores conseguiam seguir e atender as necessidades deste esquema de cinema industrial, mas através de procedimentos estéticos colocavam suas visões de mundo nessas obras, traficando ideias noRead More
“Uma mulher tem que ter Qualquer coisa além de beleza Qualquer coisa de triste Qualquer coisa que chora Qualquer coisa que sente saudade Um molejo de amor machucado Uma beleza que vem da tristeza De se saber mulher Feita apenas para amar Para sofrer pelo seu amor E pra ser só perdão” É citando Vinícius de Moraes que começa a série brasileira Coisa Mais Linda. Nela conhecemos Maria Luiza (Maria Casadevall), Lígia (Fernanda Vasconcellos), Adélia (Patrícia Dejesus) e Theresa (Mel Lisboa). Poderiam ser apenas quatro amigas saindo numa sexta àRead More
Para qualquer súdito do Rei do Pop, a experiência de assistir ao documentário Deixando Neverland é dolorosa. Não é fácil ver os relatos, ricos em detalhes, de Wade Robson e James Safechuck sobre os abusos que contam ter sofrido durante a infância sem sentir ao menos uma pontinha de culpa. Como se, ao ouvir as tantas canções de Michael Jackson ao longo dos anos, nos tornássemos de alguma forma cúmplices daquela situação. É certo que existe quem, depois das quatro horas do documentário, ainda vá dizer que não há provasRead More
Assisti ao documentário Eleições, de Alice Riff, ainda sob o impacto do massacre na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, onde dois ex-alunos assassinaram oito pessoas, entre estudantes e funcionários, na quarta-feira, dia 13, e se mataram em seguida. Os paralelos entre as duas escolas são mínimos, mas gritantes: no contexto estão duas instituições públicas de ensino, ambas inseridas, e não à margem, de boa parte dos conflitos e dispositivos políticos do mundo para além da sala de aula. O filme acompanha as eleições, para o grêmio estudantil, na EscolaRead More
Para um evento que prometia privilegiar histórias reais em tempos de Fake News, a cerimônia de entrega do Oscar de 2019 entrou para o anedotário como derrapada. Mesmo sob todos os protestos da família do personagem retratado, o músico e compositor Don Shirley, e mesmo sob os protestos de quem conseguiu perceber de longe os inúmeros buracos de uma história supostamente anti-racista, Green Book – O Guia ficou com a estatueta de melhor filme – e causou revertério nas horas seguintes pelas redes sociais. O filme de Peter Farrelly, atéRead More
mostra mosfilm 2018
Além de 10 filmes, programação tem exposição, gastronomia e artesanato do Leste Europeu. Entrada é gratuita. De 27 de novembro a 5 de dezembro a Cinemateca Brasileira, localizada em São Paulo, recebe a 5ª Mostra Mosfilm de Cinema Soviético. Estão na programação 10 longas, entre inéditos e restaurados, todos com entrada franca. O clássico Vá e Veja (1985), de Elem Klimov, um dos retratos mais perturbadores sobre o efeito psicológico dos combates da 2ª Guerra, é o filme de abertura. A cópia restaurada foi premiada no Festival de Veneza emRead More
Instituto de Cinema
O Instituto de Cinema, localizado no bairro de Pinheiros, em São Paulo, está com inscrições abertas para a 5ª prova de Bolsa, que acontece na sexta-feira, 5 de outubro. Dependendo do desempenho na prova e de fatores socioeconômicos, o interessado pode garantir bolsa de até 60% nos cursos Cinema Total (básico) e FilmLAB (avançado). A prova acontece em dois horários, das 10h às 12h e das 19h às 21h. Serão 9 questões objetivas e uma redação, todas relacionadas a cinema e atualidades. É possível se inscrever até quinta-feira, dia 4.Read More
Nove anos depois de sua estreia nos cinemas, com Jean Charles, o diretor Henrique Goldman volta a lançar um filme que tem a tragédia em seu DNA. Ele assina O Nome da Morte, longa que escreveu ao lado do roteirista George Moura, inspirado livremente na história real de Júlio Santana, um matador de aluguel que confessou ter assassinado 492 pessoas. Assim como os atores Marco Pigossi e Fabiula Nascimento, Goldman também falou ao Cinematecando sobre a produção. Leia a entrevista abaixo O filme contou com várias participações de atores locaisRead More