Posted On janeiro 16, 2017 By In Games

Crítica: The Last of Us

História

O título criado pela Naughty Dog em 2013, chamado The Last Of Us, é um jogo ambientado nos Estados Unidos pós-apocalíptico, onde um fungo Cordyceps (que infecta insetos no mundo real) consegue evoluir e infectar seres humanos, tornando-os extremamente agressivos, atacando todos os não infectados. O primeiro personagem que se tem controle no jogo é Sarah, uma jovem menina que acorda e procura pelo seu pai Joel. Ao encontrá-lo, eles são atacados pelo vizinho infectado pelo fungo. Após conseguirem fugir do local, encontram um militar e pedem ajuda; porém, ao invés de ajudar, o militar os ataca, matando Sarah. Com isso, acaba o prólogo do jogo.

A história retorna depois de 20 anos com Joel mais frio, sendo um contrabandista de armas junto com a sua amiga Tess. Os dois se encontram e vão à procura de Robert, um contrabandista que vendeu suas armas para os Vaga-Lumes (um grupo paramilitar que busca a cura do fungo e luta contra os grupos militares remanescentes que estão no país). Com isso, encontram Marlene, uma integrante do grupo dos Vaga-Lumes que pede para Joel levar Ellie, uma menina de 14 anos, para fora dos limites da cidade e ir ao encontro de outro grupo de Vaga-Lumes. Para que ele faça o trabalho, Marlene promete à Joel o dobro de armas que o grupo comprou de Robert. Com a concordância de Joel, começa a história dos dois protagonistas da história de The Last of Us, Joel e Ellie, que vão atravessar o país em busca dos Vaga-Lumes.

Gráficos e Trilha Sonora

O jogo graficamente é muito bonito, e o realismo das expressões dos personagens impressionam. Quando Joel estrangula inimigos de modo furtivo, podemos ver a expressão de desespero do estrangulado. Quando ocorrem cutscenes, podemos ver o excelente trabalho de atuação e dublagem dos atores Troy Baker (Joel) e Ashley Johnson (Ellie), dando vida aos personagens. O jogo levou aos limites gráficos do PS3, sendo uns dos melhores gráficos da sétima geração de consoles – e agora, com a versão The Last of Us Remastered para PS4 e PS4 Pro, os gráficos ficaram ainda mais bonitos, rodando a 60 FPS. A trilha sonora do jogo, criada por Gustavo Santaolalla, foi a cereja do bolo para criar uma obra-prima, inserindo trilhas em momentos tensos e uma trilha para saber que os inimigos acabaram.

Gameplay

Joel pode andar, correr, nadar, atirar, andar agachado, socar, arremessar objetos, bater com objetos encontrados no chão e criar itens. O jogo é um Survival Horror, onde Joel e Ellie precisam enfrentar inimigos variados – desde humanos à infectados. O jogo é considerado difícil para um jogador iniciante. Mesmo não sendo nenhum Dark Souls, como Joel é um sobrevivente comum e com os recursos escassos, é difícil ficar comprando briga com todos os inimigos que aparecem no jogo. Na maior parte do tempo, o jogador terá de ficar andando agachado, tentando evitar confrontos desnecessários ou tentando montar uma estratégia de como conseguir vencer os inimigos sem gastar muitos recursos. Porém, Joel tem uma “habilidade”: quando está agachado, consegue escutar os passos de seus inimigos e também ver através das paredes, o que ajuda muito.

Enfrentar infectados e humanos diferencia bastante a estratégia para vencer cada bando. Humanos atacam em grupo, flanqueando de todos os lados, e possuem armas de fogo e armas brancas; quando o jogador tenta atirar e não possui nenhuma bala no pente, produzindo o som de puxar o gatilho sem sair a bala, os humanos começam a atacar mais ferozmente, enquanto que, os infectados, ao perderem a inteligência devido ao fungo, não ficam procurando o jogador, mas quando o jogador é descoberto, todos atacam de uma vez sem nenhuma estratégia. O mais interessante é que Ellie ajuda Joel com o passar do jogo. Quanto mais avançada a história, mais ela ajuda.

The Last of Us tem um sistema de craft que consiste em pegar itens encontrados no chão para criar bombas de pregos, coquetel molotov, bomba de fumaça e outros. O jogador pode coletar sucatas encontradas no jogo e utilizá-las ao encontrar uma mesa de construção – tudo para melhorar as armas, aumentando o poder de dano do tiro e o tamanho do pente. O jogador pode encontrar pílulas que melhoram a vida máxima de Joel e suas habilidades, como a distância de escuta de passos. Quando o jogador está explorando o cenário sem nenhum inimigo, Ellie e Joel conversam entre eles. Ellie pergunta muito sobre como era o mundo antes da infecção e conta piadas, dependendo do local onde estão. Se Joel apontar a luz na cara da Ellie, sem motivo algum, ela vai reclamar com ele, ou se ficar muito tempo parado no mesmo lugar, ela vai começar a ficar mexendo o pé para passar o tempo deixando o jogo mais vívido. São estes pequenos detalhes que tornam o game ainda melhor. O jogador pode encontrar pedaços de papeis espalhados pelo cenário, os quais contam histórias de outros sobreviventes. Se todos os pedaços de papeis de um grupo de sobrevivente são encontrados, é possível acompanhar a história deles através dos relatos.

Bugs

Como nem tudo é perfeito, o jogo apresenta alguns bugs: no PS3, o cenário de perto é muito bonito, porém alguns objetos mais distantes ficam serrilhados, ou com bugs de render, os quais foram corrigidos para a versão de PS4.  Ocorre um bug quando Joel está apoiado em uma parede em um confronto e Ellie tenta se apoiar na mesma parede, fazendo que os dois fiquem no mesmo lugar, atravessando um corpo no outro. O bug mais recorrente é o de que Joel sempre tem que estar se esgueirando pelo cenário para não ser visto, enquanto que, de vez em quando, Ellie não sabe onde se esconder e corre pelo cenário à vontade, onde ninguém percebe a presença dela, passando na frente dos inimigos, que a ignoram completamente. Contudo, nenhum desses bugs atrapalha a experiência de jogar essa obra-prima.

Conclusão

The Last Of Us é realmente uma obra-prima e ganhou muitos prêmios (como o de melhor jogo do ano). Sua história é linear, sendo um detalhe que não atrapalha a excelente aventura de dois sobreviventes em um mundo pós-apocalíptico, escrita pelo escritor da Naughty Dog, Niel Druckmann.

História O título criado pela Naughty Dog em 2013, chamado The Last Of Us, é um jogo ambientado nos Estados Unidos pós-apocalíptico, onde um fungo Cordyceps (que infecta insetos no mundo real) consegue evoluir e infectar seres humanos, tornando-os extremamente agressivos, atacando todos os não infectados. O primeiro personagem que se tem controle no jogo é Sarah, uma jovem menina que acorda e procura pelo seu pai Joel. Ao encontrá-lo, eles são atacados pelo vizinho infectado pelo fungo. Após conseguirem fugir do local, encontram um militar e pedem ajuda; porém, ao invés de ajudar, o militar os ataca, matando Sarah. Com isso, acaba o prólogo do jogo. A história retorna depois de 20 anos com Joel mais frio, sendo um contrabandista de armas junto com a sua amiga Tess. Os dois se encontram e vão à procura de Robert, um contrabandista que vendeu suas armas para os Vaga-Lumes (um grupo paramilitar que busca a cura do fungo e luta contra os grupos militares remanescentes que estão no país). Com isso, encontram Marlene, uma integrante do grupo dos Vaga-Lumes que pede para Joel levar Ellie, uma menina de 14 anos, para fora dos limites da cidade e ir ao encontro de outro grupo de Vaga-Lumes. Para que ele faça o trabalho, Marlene promete à Joel o dobro de armas que o grupo comprou de Robert. Com a concordância de Joel, começa a história dos dois protagonistas da história de The Last of Us, Joel e Ellie, que vão atravessar o país em busca dos Vaga-Lumes. Gráficos e Trilha Sonora O jogo graficamente é muito bonito, e o realismo das expressões dos personagens impressionam. Quando Joel estrangula inimigos de modo furtivo, podemos ver a expressão de desespero do estrangulado. Quando ocorrem cutscenes, podemos ver o excelente trabalho de atuação e dublagem dos atores Troy Baker (Joel) e Ashley Johnson (Ellie), dando vida aos personagens. O jogo levou aos limites gráficos do PS3, sendo uns dos melhores gráficos da sétima geração de consoles - e agora, com a versão The Last of Us Remastered para PS4 e PS4 Pro, os gráficos ficaram ainda mais bonitos, rodando a 60 FPS. A trilha sonora do jogo, criada por Gustavo Santaolalla, foi a cereja do bolo para criar uma obra-prima, inserindo trilhas em momentos tensos e uma trilha para saber que os inimigos acabaram. Gameplay Joel pode andar, correr, nadar, atirar, andar agachado, socar, arremessar objetos, bater com objetos encontrados no chão e criar itens. O jogo é um Survival Horror, onde Joel e Ellie precisam enfrentar inimigos variados - desde humanos à infectados. O jogo é considerado difícil para um jogador iniciante. Mesmo não sendo nenhum Dark Souls, como Joel é um sobrevivente comum e com os recursos escassos, é difícil ficar comprando briga com todos os inimigos que aparecem no jogo. Na maior parte do tempo, o jogador terá de ficar andando agachado, tentando evitar confrontos desnecessários ou tentando montar uma estratégia de como conseguir vencer os inimigos sem gastar muitos recursos. Porém, Joel tem uma…

Nota

The Last of Us

Excelente

A Naughty Dog manteve a produção de The Last of Us à sete chaves desde 2009, quando iniciaram a produção. Somente alguns executivos da Sony sabiam alguma informação acerca do jogo, mas nem mesmo eles sabiam detalhes do enredo.

100

Tags : , , , , , , , ,

Redator do Cinematecando | Estudante de Rádio e TV, 20 anos. Quando pequeno, gostava de ver desenhos animados na TV, e depois foi apresentado ao Playstation 1. Com isso, sua paixão por games surgiu e o acompanha até hoje. Tenta conciliar os games com as séries de TV que não param de sair.