Críticas - Lançamentos | Cinematecando
O canto do cisne de Eastwood Falar do icônico e multi laureado autor de cinema Clint Eastwood à esta altura é chover no molhado. Tentar exprimir seus trabalhos na grande tela (seja como ator, produtor, diretor e até compositor) é uma tarefa das mais árduas, e periga cometermos injustiças ao esquecermos certas obras de sua longeva carreira. Dito isso, sobra discorrer sobre seu mais recente longa-metragem, o “drama de crime” biográfico A Mula. O filme conta a história baseada em fatos reais de Leo Sharp, que ficou famoso ao trabalharRead More
Visual singular em história pouco original Para filmes que têm como cenário um futuro pós-apocalíptico, a boa ambientação deste universo é meio caminho andado na direção de conseguir uma identidade própria. E esta é a principal característica de Alita – Anjo de Combate, adaptação do mangá japonês criado por Yukito Kishiro, levada aos cinemas com produção de James Cameron e direção de Robert Rodriguez. Entusiasta de novas tecnologias e com a fortuna de quem tem no currículo sucessos de bilheteria como O Exterminador do Futuro, Titanic e Avatar, Cameron passouRead More
Insegurança em sutilezas A obesidade já foi trabalhada no cinema de diferentes pontos de vista, e desde já é importante dizer que, o novo filme da Netflix, Dumplin’, não traz grandes mudanças e inovações em cima do que já estamos acostumados. Mas nós apresenta um recorte delicado contado através de um roteiro sutil, que coloca sua protagonista nas situações mais desgostosas possíveis, de maneira realista e facilmente identificável. A história gira em torno de uma jovem chamada Willowdean Dickson (Danielle Macdonald), que sofre com a sua aparência principalmente através dosRead More
Jogo burocrático High Flying Bird é como aqueles filmes de guerra em que não há ação no front, mas sim foco na expectativa dos soldados para entrar em combate. No caso desse longa original Netflix, a ansiedade é para o começo da nova temporada da liga norte-americana de basquete (a NBA), colocada em suspensão por conta de um “lockout”, enquanto atletas e cartolas buscam um acordo para novos contratos e cifras milionários. André Holland interpreta Ray Burke, um empresário que se vê numa situação de crise financeira crescente à medidaRead More
O estado bruto da arte Vincent Van Gogh (1853 – 1890) é a representação fidedigna de quem somente teve o trabalho reconhecido após a própria morte. É possível dizer, sem exageros, que a sua vida foi marcada pelas dificuldades enfrentadas por aqueles que se esforçam ao máximo para transformar o próprio sonho em realidade – no caso, as artes plásticas. Ainda assim, uma das premissas às quais somos condicionados a seguir por meio do senso comum é acreditar que artistas tiveram vidas idílicas a ponto de idealizarmos as suas respectivasRead More
A Era da desinformação No momento em que escrevo este texto, poucos dias após a HBO estrear seu telefilme Brexit, dirigido por Toby Haynes e estrelado por Benedict Cumberbatch, as autoridades britânicas ainda batem cabeça para solucionar a equação complexa de fazer com que o Reino Unido saia da União Europeia, respondendo a decisão tomada por consulta popular em junho de 2016. O imbróglio que o Brexit se tornou expõe de forma cristalina como muita gente votou no plebiscito sem ter à disposição o conhecimento necessário do que aquilo representariaRead More
Escapar ou morrer Enquanto os fãs da franquia Premonição aguardam ansiosos por um remake do primeiro filme (2000) ou quem sabe até uma continuação, esses podem facilmente se entreter com uma produção tensa, contagiante e carregada de detalhes. Escape Room é o novo filme do já conhecido cineasta Adam Robitel, responsável pela direção de Sobrenatural: A Última Chave (2018) e pelo roteiro de Atividade Paranormal: Dimensão Fantasma (2015). É revitalizador ainda termos contato com filmes que prendem nossa atenção a todo momento e nos fazem torcer pela vida de determinadosRead More
Quando o poder resulta em uma comédia de erros Dick Cheney, vice-presidente dos EUA durante a era George W. Bush (2001-2009), entrou para a história pela porta dos fundos ao ser um idealizadores do plano, no mínimo equivocado ao extremo, para convencer a opinião pública de que o país deveria invadir o Afeganistão e o Iraque após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. Contudo, quais foram as motivações para o vice-presidente que não queria ser apenas uma figura decorativa ter tomado e bancado essa decisão? E, maisRead More