Críticas - Lançamentos | Cinematecando
Melhor enfermo que amaldiçoado Em uma Londres dos anos 50, Reynolds Woodcock (Daniel Day-Lewis) se arruma logo pela manhã para um dia cheio de trabalho. Faz a barba, apara os pelos do nariz e orelhas, penteia seus cabelos para trás com firmeza e veste-se distintamente enquanto do lado de fora, nas ruas londrinas que mal amanheceram, um grupo de mulheres (na maioria, senhoras) vai adentrando a casa ateliê de Reynolds Woodcock. Ao descer as escadas em caracol, Reynolds cumprimenta suas assistentes e aprendizes, uma a uma. Estas se aprontam, vestemRead More
Um filme “de menina” para todos os públicos Dentre os nove filmes indicados ao Oscar de Melhor Filme em 2018, temos guerra, terror, fantasia… Mas em meio a grandiosidade que Dunkirk propaga, ou a sensibilidade de encher os olhos que A Forma da Água apresenta, temos Lady Bird. Temos Cristine. Uma garota simples, com medos, ambições e um destino tão variável quanto a vida em si. É dentro dessa aparente simplicidade que se encontra um dos roteiros mais interessantes e caprichados desta edição da grande premiação. Ao vermos a jornada de autodescoberta de Cristine/LadyRead More
Jake Gyllenhaal e Tatiana Maslany protagonizam emocionante história real Mais uma vez, Jake Gyllenhaal se prova como um dos atores mais versáteis dos últimos tempos, sempre se destacando ao interpretar personagens demarcados por uma força que impacta o espectador. Em O Que Te Faz Mais Forte, além de viver o jovem Jeff Bauman, que foi atingido durante o atentado da maratona de Boston e perdeu as duas pernas, em 2013, Gyllenhaal explora camadas mais profundas em um filme que poderia expor apenas o lado ‘tradicional’ que tanto vemos em filmes biográficos.Read More
Um falso filme pessimista Nos primeiros segundos em O Sacrifício do Cervo Sagrado, com a tela preta, há uma orquestra acompanhada de um coral. Mesmo não compreendendo o que aquelas vozes cantam, não é preciso muito para sabermos aonde pisaremos pelas próximas duas horas. O novo filme do diretor grego Yorgos Lanthimos é uma tragédia, das mais gregas. O Sacrifício do Cervo Sagrado conta a história de Steven (Colin Farrell), cardiologista conceituado casado com Anna (Nicole Kidman) e pai de dois filhos, Kim (Raffey Cassidy) e Bob (Sunny Suljic). Steven temRead More
Indicado do Líbano ao Oscar traz drama delicado com embalagem de filme-pipoca Sutileza é algo chave em filmes que tratam de delicados dilemas morais. O iraniano A Separação e o belga Dois Dias, Uma Noite são bons exemplos disso, permitindo que o público se envolva naturalmente com os problemas, qualidades e defeitos de seus personagens. O mesmo não pode ser dito do libanês O Insulto, indicado ao Oscar 2018 de Melhor Filme Estrangeiro. O Insulto, do diretor Ziad Doueiri, não é um filme ruim. O desenrolar de sua história, apesarRead More
Pantera Negra é o filme da Marvel mais “fora da curva” que você verá em 2018 E isso não é algo ruim! O 18º filme do Universo Cinematográfico Marvel é tudo aquilo que poderíamos esperar de um filme da Marvel… e muito mais. Ele consegue inovar mesmo com a narrativa familiar, excedendo os padrões pelos quais a Casa das Ideias se consagrou ao longo da última década. T’Challa já havia sido apresentado para o mundo em Capitão América: Guerra Civil, e só sua breve e intensa participação já foi considerada inédita, visto queRead More
Novo filme da franquia Cloverfield fica perdido no espaço Bom… pelo menos o marketing foi bacana? Em um movimento planejado pela Netflix e a Paramount, The Cloverfield Paradox foi lançado hoje apenas horas após seu anúncio no Super Bowl LII, e a oportunidade de ver um esperado filme com tanta rapidez aparentou incrível. No entanto, a empolgação de qualquer um deve desaparecer já lá pela metade de seus 102 minutos, quando se percebe que, além do hype, The Cloverfield Paradox tem pouquíssimo a oferecer. A história pelo menos começa intrigante. EmRead More
Maduro e ambicioso, drama da diretora Dee Rees vai além dos feitos históricos Já falamos aqui no site sobre a importância de Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi caso este fosse de fato indicado a prêmios como o Oscar. Isso se realizou: a Academia o indicou por roteiro adaptado (Dee Rees é a primeira mulher negra indicada na categoria), canção original (para Mary J. Blige), atriz coadjuvante (também para Blige) e por fim pela direção de fotografia (Rachel Morrison é a primeira mulher a competir na categoria). No entanto, deixando aRead More