O gênero faroeste, até a década de sessenta, era o mais popular dentro da indústria cinematográfica hollywoodiana. Com No Tempo das Diligências, do renomado diretor John Ford, que este gênero começou a alçar fama – assim como o ator John Wayne, que passaria a ser visto como uma estrela de cinema. De 1939 até os dias atuais, o faroeste, assim como tudo, transformou-se. Foram aparecendo diretores – de Cecil B. DeMille a John Sturges, de Howard Hawks a Anthony Mann, de Alejandro Jodorowsky a Sam Peckinpah – que apresentariam distintasRead More
Este filme faz parte da programação oficial da 41ªMostra Internacional de Cinema em São Paulo. O Outro Lado da Esperança, do finlandês Aki Kaurismäki, é praticamente um antimelodrama. A história ressoa com os tempos atuais, acompanhando um refugiado sírio que procura asilo da Finlândia, cujo caminho cruza com o de um vendedor que acabou de comprar um restaurante. Com uma estética reminiscente dos anos 60, a la Technicolor, o humor seco do longa e sua ausência de fatalismo tornam O Outro Lado da Esperança em uma experiência deliciosa de seRead More
Este filme faz parte da programação oficial da 41ªMostra Internacional de Cinema em São Paulo. As Boas Maneiras, de Marco Dutra e Juliana Rojas, é tão desnorteante que já me sentei pelo menos umas duas vezes para escrever uma crítica, sem sentir que obtive sucesso. Já vou direto ao ponto: não amo, mas gosto do filme um bocado. Amo, sim, o que foi pretendido pela dupla de diretores, um filme B de inúmeras facetas, sem medo de gerar um profundo estranhamento. O longa conta a história de Clara (Isabél Zuaa),Read More
Este filme faz parte da programação oficial da 41ªMostra Internacional de Cinema em São Paulo. Assim que lerem a sinopse de Aos Teus Olhos, ganhador de melhor filme do público no Festival do Rio, cinéfilos lembrarão imediatamente do drama dinamarquês A Caça, de Thomas Vinterberg. Após assistir ao longa da diretora Carolina Jabor, porém, não há como confundir as duas obras. Baseado na peça O Princípio de Arquimedes, que este ano fez sua estreia no Brasil, o longa acompanha o ruir da vida de Rubens (Daniel de Oliveira) quando este,Read More
Este filme faz parte da programação oficial da 41ªMostra Internacional de Cinema em São Paulo. Visages Villages, novo filme da diretora Agnès Varda em colaboração com o fotógrafo JR, não é um romance, mas é certamente uma experiência apaixonante. Protagonizado pelos dois, o documentário acompanha a viagem da dupla através da França rural, deixando, onde quer que passem, grandes murais com fotos variadas, seja dos locais quanto de animais. Varda e JR cruzam com uma variedade de personagens, mas nenhum deles é realmente aprofundado. E isso é ok: Visages VillagesRead More
Este filme faz parte da programação oficial da 41ªMostra Internacional de Cinema em São Paulo. Em um dos momentos mais memoráveis de O Trabalho, documentário de Jairus McLeary e Gethin Aldous que está entre os indicados ao Gotham Award (possível garantia de que estará entre os finalistas no Oscar), dois prisioneiros, em meio a uma intensa sessão de terapia em grupo, se abraçam, esmagando seus microfones contra os peitos, ao ponto de escutarmos seus batimentos cardíacos. Grande parte da força que a experiência carrega vem justamente com os aspectos imprevisíveisRead More
Este filme faz parte da programação oficial da 41ªMostra Internacional de Cinema em São Paulo. Félicité tem seu início com uma cena de impacto visual e sonoro. Estamos imersos em um bar de Kinshasa, Congo, no qual cacofonia das conversas e o crescendo da música se misturam. É aí que somos apresentados à personagem título (Véro Tshanda Mputu), cujo canto enfeitiça qualquer um ali. A câmera sempre próxima dos rostos e instrumentos acaba gerando um calor humano que é difícil de evocar. O longa de Alain Gomis, nascido na FrançaRead More
Este filme faz parte da programação oficial da 41ªMostra Internacional de Cinema em São Paulo. Em 2013, tive meu primeiro contato com o trabalho dos irmãos Taviani, com o inesquecível César Deve Morrer. Tratava-se de uma amálgama encantadora entre realidade e ficção, na qual prisioneiros encenavam entre si a peça Júlio César, de Shakespeare, com paralelos às próprias relações de poder entre os encarcerados. Quatro anos depois, fico feliz em ver que a sensibilidade clássica dos Taviani, pontuada por vislumbres experimentais, continua intacta, com o excepcional Uma Questão Pessoal. ExibidoRead More