Críticas - Lançamentos | Cinematecando
Escapar ou morrer Enquanto os fãs da franquia Premonição aguardam ansiosos por um remake do primeiro filme (2000) ou quem sabe até uma continuação, esses podem facilmente se entreter com uma produção tensa, contagiante e carregada de detalhes. Escape Room é o novo filme do já conhecido cineasta Adam Robitel, responsável pela direção de Sobrenatural: A Última Chave (2018) e pelo roteiro de Atividade Paranormal: Dimensão Fantasma (2015). É revitalizador ainda termos contato com filmes que prendem nossa atenção a todo momento e nos fazem torcer pela vida de determinadosRead More
Quando o poder resulta em uma comédia de erros Dick Cheney, vice-presidente dos EUA durante a era George W. Bush (2001-2009), entrou para a história pela porta dos fundos ao ser um idealizadores do plano, no mínimo equivocado ao extremo, para convencer a opinião pública de que o país deveria invadir o Afeganistão e o Iraque após os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001. Contudo, quais foram as motivações para o vice-presidente que não queria ser apenas uma figura decorativa ter tomado e bancado essa decisão? E, maisRead More
Barry Jenkins e seu talento em sensibilizar a realidade Ser negro e viver em uma sociedade preconceituosa é lidar com: maiores dificuldades de se conseguir um emprego; a intolerância que vem de agressões físicas, verbais ou mesmo olhares tortos; e até mesmo arcar com acusações (e condenações) de crimes que você não cometeu, apenas por possuir uma cor de pele mais escura e fazer parte de uma estatística que se mantém por falta de oportunidades e por conta do descaso de forças policiais e governamentais. Em Se a Rua BealeRead More
Arte em combustão A discussão entre arte e mercadoria é bem antiga. “Desde que o primeiro homem das cavernas cobrou um osso para exibir pinturas rupestres”, ironiza uma das personagens de Velvet Buzzsaw. O embate está no cerne do novo filme escrito e dirigido por Dan Gilroy, cineasta que ganhou elogios com a estreia no suspense O Abutre, mas não teve a mesma recepção no longa seguinte, Roman J. Israel, que nem chegou a ser lançado nos cinemas brasileiros, mesmo tendo rendido uma indicação ao Oscar para Denzel Washington. VelvetRead More
Descasos e exageros É triste quando percebemos, ou pelo menos lembramos, o que a indústria cinematográfica (principalmente hollywoodiana) fez com os filmes de terror, ao tornar o gênero, que particularmente sou apaixonado, em um amontoado de produções semelhantes e enjoativas, sem aprofundamento nos personagens e seus objetivos, com incontáveis sustos previsíveis que são intensificados com ensurdecedores jump scares seguidos de efeitos especiais exagerados. A Sereia – Lago dos Mortos não é uma produção americana, mas se enquadra perfeitamente nesse tipo de roteiro preguiçoso e execução sem criatividade que estamos acostumados. Seguimos umRead More
Celebrando a diversidade e dissecando o caos Gaspar Noé, um dos mais polêmicos e controversos diretores de cinema da atualidade, aparenta ter trazido para as telonas sua maior e mais profunda obra audiovisual. Climax é a possibilidade de inúmeras reflexões a cerca da coletividade humana, nos propondo pensar sobre as consequências de uma sociedade livre e ignorante. Ao mesmo tempo que o filme celebra a diversidade de pessoas em seus aspectos físicos e mentais, o roteiro também discorre sobre o caos decorrente de nossas paranóias e préjulgamentos. A história seRead More
Nossa mente, nossos corpos O cinema já nos presenteou com variadas obras sobre a diversidade de possibilidades existentes em nossa psicologia. Como todo e qualquer tema, cada vez é mais difícil reinventar em cima disso e trazer uma história que surpreenda. Talvez nossa atenção deva se direcionar às diferentes formas que um filme (ou série) tem de nós emocionar, ainda que conte praticamente a mesma história, porém de maneira distinta. Nesse contexto, é interessante observar a discussão trazida por meio do filme espanhol (e belga) original da Netflix chamado Ánimas. No filme, seguimosRead More
polar critica
Em busca de salvação Filmes de ação tendem a conquistar muitas pessoas, e ao mesmo tempo afastar tantas outras. Isso porque, assim como slashers, o gênero se apoia, na maioria das vezes, em clichês e estratégias de roteiro previsíveis. A produção original Netflix Polar (baseada na homônima série de quadrinhos) traz elementos já conhecidos pelo público, incluindo furos de roteiro e outras convenções improváveis, mas também inova com uma linguagem mais moderna e fantasiosa, que flerta com a comicidade de alguns personagens.  A história segue Duncan Vizla (Mads Mikkelsen), também conhecido como Black Kaiser,Read More