Críticas - Lançamentos | Cinematecando
Mel Gibson, que já se estabeleceu como um bom diretor de cinema trabalhando em filmes como Coração Valente (que lhe rendeu um Oscar de direção) e A Paixão de Cristo, retorna a este posto em Até o Último Homem, um filme excepcional que mostra a guerra em sua mais pura forma: cruel, desoladora e sangrenta. Mas, ao mesmo tempo, Gibson dá um toque de humanidade primordial para que sua história tome forma e se torne mais emocionante, dando espaço para contar a trajetória do jovem Desmond Doss (Andrew Garfield). Mas quemRead More
Quando você pensa que está farto de filmes sobre a Segunda Guerra Mundial, uma linda obra-prima como Aliados chega para mostrar que ainda há ótimas histórias sobre esse conturbado período a serem contadas. O novo filme do mestre Robert Zemeckis é uma homenagem ao amor e suas desconfianças em uma época cheia de rivalidades territoriais, em que ninguém tem pena de ninguém, estando todos a par dos interesses políticos de suas pátrias. Nesse meio, somos introduzidos à uma delicada relação amorosa entre dois espiões que apenas buscam seguir suas vidas calma eRead More
Junte romance, aventura, ação, além de alguns elementos sci-fi, e você terá em suas mãos o tão divulgado filme Passageiros. Grandes produções baseadas no futuro é o que há em nosso século repleto de facilidades tecnológicas, porém são raros os blockbusters americanos que conseguem adequar uma história de amor à uma abordagem futurista, e neste filme, isso se concretiza de maneira gratificante. A mais nova obra do cineasta Morten Tyldum (diretor do famoso O Jogo da Imitação), é um prato cheio para quem vai ao cinema para se emocionar e terRead More
Já começo dizendo que não sou conhecedor da obra do britânico Ken Loach. Sei apenas de alguns detalhes básicos: despontou mundialmente lá em 1969 com Kes e que a classe operária predomina como protagonista em suas obras. Eu, Daniel Blake, novo filme do diretor, figura como sua segunda obra a ganhar a Palma de Ouro no Festival de Cannes, a primeira sendo Ventos da Liberdade. Estreando nesta próxima quinta-feira nos cinemas de São Paulo, há certamente motivos sólidos para o sucesso do longa, mesmo que seu merecimento do prêmio máximo emRead More
O diretor chileno Pablo Larraín tem mostrado ao mundo do cinema ótimos filmes com sua assinatura. Desde Tony Manero, de 2008, conseguiu chamar a atenção de alguns críticos e, mesmo que ainda não tivesse se destacado para o cenário mundial, o diretor já mostrava que seria uma força do cinema chileno. Foi com o ótimo No, de 2012, que mostrou seu ‘cartão de visita’, levando um prêmio no mais renomado festival de cinema do mundo: Cannes. Dos louros de Cannes em diante, houve uma inversão. Não seria mais o diretor Pablo LarraínRead More
Por Bianca Heredia Baseado no livro homônimo de Patrick Ness, Sete Minutos Depois da Meia Noite, assim como a maioria dos filmes do espanhol Juan A. Bayona (escalado para dirigir o próximo Jurassic Park), possui uma ambientação escura e um tanto quanto melancólica – principais características do cineasta, que é conhecido por filmes como O Impossível, e O Orfanato. É impossível não deixar os sentimentos e reflexões sobre a vida tomarem conta ao acompanharmos a história de Conor O’Malley, um garoto de 12 anos que vive apenas com sua mãeRead More
Com o excelente O Lamento nos cinemas desde semana passada e este Invasão Zumbi chegando às salas de São Paulo nesta quinta-feira, o cinema de terror sul-coreano mostra suas cartas como um dos mais bem-realizados do mundo. A estreia de Sang-ho Yeon na direção de longas live-action, Invasão Zumbi é certamente muito mais acessível que o longa de seu conterrâneo Hong-jin Na, com duração mais palatável e uma trama objetiva e sem muitas nuances, mas Yeon se prova como um realizador promissor, apesar de eventuais problemas. Na simples trama, acompanhamosRead More
O estilista Tom Ford estreou na direção de cinema com o elogiado filme Direito de Amar (A Single Man) em 2009. E agora, sete anos depois, Ford retorna ao cinema com outro projeto baseado em um livro; só que, diferente de Direito de Amar, que é uma obra extremamente sensorial e melancólica (e que também conta com uma grande atuação de Colin Firth), Animais Noturnos (Nocturnal Animals) mistura suspense, drama e também alguns temas fortes como vingança e perdas. Tudo isso junto a um tom sombrio, que prende desde seus créditos iniciais. PorRead More