Críticas - Séries | Cinematecando
Netflix traz série nostálgica ambientada em 1996 e explora as vidas de adolescentes no ensino médio Concordemos que há, sim, diferenças entre o modelo de ensino médio nos Estados Unidos e no Brasil (inclusive na infraestrutura), mas seriam elas o suficiente para afastar o espectador brasileiro das experiências passadas pelos adolescentes estadunidenses? Pessoalmente, acredito que nem um pouco. A nova série Everything Sucks! é a prova viva de que a adolescência é um período complicado para todos, mas acima de tudo muito marcante. Que o design de produção contextualiza muitoRead More
Nova série na franquia Star Trek encerrou sua 1ª Temporada com altos e baixos Até Star Trek – Discovery chegar em sua midseason (metade da temporada) no ano passado, a série foi alvo de críticas em relação a seu tom sombrio e incongruências com o universo da série original, entre outras coisas. Válidas ou não, tais críticas refletiam um dos grandes problemas com novas séries, que parecem ter alguma dificuldade em encontrar uma identidade sólida. No caso de Discovery, nem mesmo nove episódios, embora competentes, deixaram uma forte marca. NoRead More
Quem diria que uma série tão original e peculiar como The Good Place poderia ter uma segunda temporada tão criativa quanto a primeira? Desde que a Netflix comprou os direitos de distribuição do seriado, alguns fãs da série já estavam ansiosos mas ao mesmo tempo receosos por conta do arriscado e inesperado plot twist no último episódio da primeira temporada. Porém, conforme a distribuidora foi lançando um episódio por semana, os fãs se impressionaram com a permanência da qualidade dos episódios e, ao fim, nesta sexta-feira (02), tudo se confirmouRead More
Nostalgia. Em minha interpretação, esse é um sentimento não tão almejado por seriados de televisão. Mais especificamente, digo que hoje em dia é muito mais comum a presença de filmes que tratem da adolescência como um período nostálgico do que séries, ainda que de vez em quando apareça uma Stranger Things para satisfazer nossa necessidade de maratonas. A nova série britânica The End Of The F***ing World, que teve seus direitos comprados pela Netflix, é uma dessas obras que chegam para entreter qualquer um, mas principalmente criar uma identificação comRead More
Dar continuidade à uma sitcom (situation comedy) nunca é fácil. Por um lado pode parecer, pois os personagens já estão elaborados em cima de suas características, alguns arcos já foram criados e o público já se familiarizou com o tipo de humor pretendido pelo roteiro. Mas se todos esses pontos pesam a favor da facilidade, há uma visão contrária capaz de simplesmente anular todos os pontos positivos: a expectativa do espectador. Talvez mais difícil do que criar algo do nada, seja manter o conceito temático de algo, estar sempre inovandoRead More
Black Mirror volta com uma temporada que, com fortes protagonistas femininas, navega por temas bastante diversos De quantas séries que renovam suas temporadas a cada ano (ou dois anos) podemos notar tamanha consistência na qualidade de seus episódios? É definitivamente algo para se contar nos dedos. Aparentemente, a britânica Black Mirror está se incluindo em um grau de consideração televisiva impressionante, visto que seu criador e roteirista Charlie Brooker conhece muito bem seu público e as expectativas deste. Sobre a quarta temporada, é possível sim que a opção temática deRead More
Depois de uma primeira temporada bastante comentada e premiada (confira a crítica aqui), a Netflix finalmente liberou a segunda parte desta história que, desta vez, mostra os fatos que ocorreram entre os anos finais da década de 1950 até 1962 na vida da família real britânica e em seu reino. A nova temporada traz a público muito mais as relações e problemas internos da rainha Elizabeth II do que acontecimentos políticos, mas tudo que é mostrado ajuda o espectador a entender melhor a mulher que existe por baixo da coroaRead More
Estabelecer comparações entre Dark (primeira série alemã original Netflix) e a famosíssima Stranger Things apenas levando em consideração o fato de ambos girarem em torno do desaparecimento de pessoas, é quase cometer um crime de análise. As duas séries se inserem em contextos, gêneros, propostas e abordagens diferentes, mas se podemos dizer que ambas possuem algo em comum, é o fato de serem extremamente cativantes. Enquanto Matt Duffer e Ross Duffer (criadores de Stranger Things) estimulam o espectador com um roteiro dinâmico que se apoia na nostalgia dos anos 80Read More