Filmes | Cinematecando
Sequência repete tom cômico do primeiro longa e abre espaço para a personagem feminina brilhar A Marvel não dá ponto sem nó. Fez crescer a expectativa que cercava Homem-Formiga e a Vespa, filme sobre personagens secundários em seu elenco de heróis, por ser a primeira estreia do estúdio dos cinemas depois dos acontecimentos traumáticos de Vingadores: Guerra Infinita. Muita gente vai ao cinema agora na expectativa de encontrar uma pista sobre o que pode acontecer no futuro da franquia. Para estes, vale o aviso: a aguardada citação acontece, mas éRead More
Imagem de Sexy por Acidente
A dor na insegurança e o poder da confiança Além de ser dona de muitos prêmios, a comediante Amy Schumer já foi nomeada pela revista Time como uma das cem pessoas mais influentes do mundo. É inegável que Schumer tem seus méritos e talento, seja por suas apresentações stand-up, televisão, teatro ou cinema. Como comediante stand-up e em seu programa Inside Amy Schumer, encontramos seu melhor: livre, esperta e selvagem, além de ótima roteirista. Já na tela grande, a atriz se apresenta de forma mais irregular. Não é difícil afirmarRead More
Imagem do filme Sicario - Dia do Soldado
Sequência de Sicario – Terra de Ninguém traz mais violência e menos reflexão Sicario – Terra de Ninguém, dirigido por Denis Villeneuve, foi uma das grandes surpresas cinematográficas do ano de 2015. Claro, sua equipe era formada por diversos profissionais de renome, mas foi o conjunto destas partes o responsável por elevar um roteiro mais costumeiro de Taylor Sheridan a algo bem mais assombroso, abalando o espectador pela base e impregnando sua mente ao não fornecer respostas fáceis. Com muitas dessas partes fora do jogo, como Villeneuve, a atriz EmilyRead More
Sequência de animação de 2004 consegue ser, além de nostálgica, tão dinâmica e cômica quanto o primeiro filme Caro leitor, não vou mentir, tenho um imenso carinho por filmes da Pixar, principalmente pelo filme que antecede esse em questão. Alguns de nós lembramos com clareza de todas as cenas de Os Incríveis (2004), afinal esse era o filme perfeito para rever inúmeras vezes. E conforme assistia de novo e de novo, começava a perceber o porquê do filme ser uma das animações mais agradáveis e envolventes já feitas – e,Read More
Há poucos filmes que retratam certos temas como LGBTQ+ e o universo feminino de forma clara e correta. De uns tempos para cá fomos agraciados com obras de representações positivas, como em Mulher-Maravilha, Pantera Negra, Uma Mulher Fantástica; e agora, temos Desobediência. Adaptado do livro de Naomi Alderman, o longa nos conta a história de Ronit (Rachel Weisz), que retorna para a comunidade judaica ortodoxa da qual foi expulsa após receber notícias sobre a morte do pai. Lá ela reencontra Esti (Rachel McAdams), a amiga de infância com a qual teve uma relação. ORead More
Aclamado filme de terror psicológico cria atmosfera tenebrosa com cenas sufocantes a todo momento Ari Aster é definitivamente um nome para se observar. O diretor, que já dirigiu e roteirizou alguns curtas-metragens, traz em sua estreia na direção de um longa uma mistura eficiente de terror psicológico, suspense e drama. Em Hereditário vemos uma condução da tensão familiar entre os personagens que alimenta diretamente a construção do terror psicológico – ocasionado tanto pelo histórico de doenças mentais da família quanto pelo próprio desenrolar dos eventos. O clima angustiante do filmeRead More
Pessimamente roteirizado e com atuações desinteressantes, sequência de filme de 2008 se mostra como uma das produções mais entediantes do ano Filmes de home invasion (invasão domiciliar) são populares desde que o terror slasher chegou aos cinemas. São muitos os filmes que conseguiram de fato entreter o público e trazer algo novo com a presença de um assassino (ou mais) tentando invadir uma casa e assustando seus moradores, é o caso do ótimo Hush: A Morte Ouve (2016). Porém, há ainda mais filmes que caíram no esquecimento justamente por seremRead More
Imagem de Marco Dutra e Juliana Rojas
Cineastas graduados pela Universidade de São Paulo (USP), Juliana Rojas e Marco Dutra formaram uma parceria duradoura, com o suspense Trabalhar Cansa (2011) sendo o primeiro longa-metragem que dirigiram juntos. Os dois fazem parte do Filmes do Caixote, coletivo de cineastas que inclui nomes como Caetano Gotardo e Sérgio Silva, e também realizaram filmes solo de sucesso: Quando Eu Era Vivo (2014) e O Silêncio do Céu (2016), de Dutra, e Sinfonia da Necrópole (2014), de Rojas. A dupla voltou a dividir a direção com o premiado As Boas Maneiras, que contaRead More