A minissérie Dois Irmãos e a retomada do Projeto Quadrante | Cinematecando

Posted On 13/01/2017 By In Artigos, Notícias

A minissérie Dois Irmãos e a retomada do Projeto Quadrante

Retomando o Projeto Quadrante da Globo, Dois Irmãos estreou essa semana dando índices bons de audiência

Nesta segunda-feira (09/01), estreou a minissérie Dois Irmãos na TV Globo, com direção de Luiz Fernando Carvalho e inspirada na obra do escritor Milton Hatoum. A trama se passa na cidade de Manaus e conta a história de dois irmãos gêmeos que não se dão nada bem.

Dois Irmãos faz parte do Projeto Quadrante, iniciado após o sucesso internacional de Hoje é Dia de Maria em 2005. O projeto, que envolve a parceria do diretor Luiz Fernando Carvalho com a TV Globo, tem como conceito a adaptação de quatro obras literárias brasileiras a fim de mostrar a cultura de variados cantos do Brasil. As produções escolhidas para o projeto foram: A Pedra do Reino (2007), obra do nordestino Ariano Suassuna; Capitu (2008), adaptação de Dom Casmurro do escritor carioca Machado de Assis; Dois Irmãos (2017), tendo como inspiração o livro de Miltom Hatoum, escritor nascido em Manaus; e Dançar Tanto em Porto Alegre, minissérie ainda sem data de estreia que terá como base a obra do gaúcho Sérgio Faraco.

O Projeto Quadrante ficou parado por um tempo devido às poucas audiências das minisséries A Pedra do Reino, com cenas pedantes e linguagem difícil para o público de TV, e Capitu – pois mesmo tendo uma aceitação melhor do espectador, os índices do IBOPE ainda foram baixos. Saiba mais sobre o Projeto Quadrante aqui.

A história de Dois Irmãos tem três fases, todas elas se passando em Manaus, e contam a conturbada história entre os irmãos gêmeos Yaqub e o caçula Omar, filhos de Zana e Halim, libaneses imigrantes no Brasil. Omar, devido a complicações no parto, se torna o filho protegido de Zana. A mãe o mima tanto que acaba criando um relacionamento doentio com o mesmo.

Omar e Yaqub se tornam pessoas completamente diferentes. Enquanto Yaqub é centrado e introspecto…

O caçula Omar é o próprio demônio na terra.


Os gêmeos não se dão bem e, quanto mais o tempo passa, a situação piora. A história fala sobre uma família desequilibrada que tem problemas sérios de relacionamentos. Intrigas, brigas e violência estão presentes nessa obra poética, interessante e com uma direção de arte e fotografia encantadora.

Com traços do barroco, farsesco, poética e influência direta do cinema novo (marca de Luiz Fernando Carvalho), o primeiro capítulo da minissérie teve índices altos de audiência – entretanto, nos dá a sensação de “mais do mesmo”. A narrativa começa interessante, porém, chega a ser parecida com outras de suas obras, lembrando perfeitamente a direção fotográfica de seu filme Lavoura Arcaica. Também é possível notar a repetição da trilha sonora da novela Velho Chico em uma das cenas, estas por sua vez com um nível excessivo de poética.

Já do segundo capítulo em diante, a trama embala uma sequência de acontecimentos envolventes e cenas ágeis, não deixando a poética de lado e nos fazendo pregar os olhos na tela. Além, é claro, da interpretação dos atores como a Juliana Paes. A atriz começou a trabalhar com Luiz Fernando Carvalho desde a novela Meu Pedacinho de Chão (2014), e faz uma ótima atuação interpretando Zana, mãe dos gêmeos, assim como Cauã Reymond, aparecendo apenas no quarto capítulo da minissérie. O ator faz os gêmeos Yaqub e Omar e dá um show interpretação. Outros grandes nomes também estão presentes no elenco, como Antônio Fagundes, Maria Fernanda Cândido, Antônio Calloni e Eliane Giardini.

Hoje (13/01) vai ao ar o quinto capítulo da minissérie após a exibição da novela A Lei do Amor. Serão dez episódios ao todo, e seis deles já estão disponíveis na íntegra no site da Globo para quem é assinante. Não deixe de assistir esta obra rica de cultura brasileira. Caso você nunca deu chance para produções da TV Globo, essa é uma ótima hora de começar.