Rebobinando | Cinematecando
Como ser um amante da Sétima Arte e não amar a década de 70? Incontáveis produções que marcaram o século se encontram nessa década, e é uma delas que o Rebobinando traz hoje para você. Não sejamos tão ousados ao afirmar que é o melhor filme dos anos 70, porém ele é, sem dúvidas, um dos melhores. UM ESTRANHO NO NINHO (1975) Pela foto inicial, pode impressionar a quantidade de Oscars que o filme levou para casa (melhor diretor, ator, atriz, roteiro adaptado, e melhor filme), mas na verdade oRead More
Quem consegue não gostar de Tom Hanks não é mesmo? Você pode conhecê-lo por vários papéis sérios e dramáticos como Filadélfia (1993), Forrest Gump (1994) ou mesmo O Resgate do Soldado Ryan (1998), mas a verdade é que no começo de sua carreira o ator protagonizou uma série de comédias escrachadas, como os famosos Splash – Uma Sereia em Minha Vida (1984) e Um Dia a Casa Cai (1986). O Rebobinando de hoje traz pra você uma das comédias mais piadistas dos anos 80, que embora não seja tão conceituada,Read More
Quarta-feira, dia de Rebobinando. Vocês já sabem, isso significa uma análise geral de algum filme essencial para a história do cinema. E hoje é dia de uma das melhores comédias do cinema clássico, que evidentemente acabou influenciando o humor da época. Contando com um elenco principal brilhante, uma direção exemplar e um roteiro chamativo, este se torna mais um filme obrigatório para todo fã do cinema hollywoodiano. A obra-prima da vez é… “LEVADA DA BRECA” (1938) Dirigido por Howard Hawks e estrelado por Cary Grant e Katharine Hepburn: é precisoRead More
O Rebobinando desta semana é muito especial, e que possui uma atuação mais especial ainda. Há filmes que marcam pelas histórias que possuem, e também há filmes que são marcados em nossa memória pelas atuações que fazem parte dele. PERFUME DE MULHER é o tipo de filme cuja força reside na performance de seu protagonista. Nesse caso, o protagonista é Al Pacino, na pele do personagem Frank Slade. A história do filme do diretor Martin Brest (Encontro Marcado) tem um roteiro um tanto quanto simples: Frank Slade, um coronel cego,Read More
Pela primeira vez no Rebobinando, trazemos uma obra brasileira! Sim, o Brasil também tem um histórico de grandes filmes, e hoje glorificaremos um dos maiores clássicos nacionais, dirigido e escrito pelo saltense Anselmo Duarte, que dedicou todo seu senso crítico de maneira surpreendente nesta mais bela produção. Já sabe de qual obra se trata não é? Do célebre, espirituoso e imortal… “O PAGADOR DE PROMESSAS” (1962) O ano de 1962 foi, sem dúvidas, um ano extremamente triste para os Estados Unidos, que perdeu um de seus maiores ícones do cinema,Read More
Como de costume, toda quarta o Rebobinando está sempre relembrando de clássicos do cinema, e hoje trazemos uma obra-prima atemporal que deve ser lembrada eternamente. Os anos 70 foram importantíssimos para o cinema, e hoje dissertaremos sobre um filme que foi responsável por fechar essa década com chave de ouro, mostrando ao mundo que um simples drama familiar com uma boa história pode ser o suficiente para atrair o interesse do espectador. O filme é… KRAMER VS. KRAMER (1979) Não é preciso ser um gênio para saber o quanto umRead More
Sidney Lumet foi um dos maiores diretores de todos os tempos. Ele presenteou o cinema com obras inesquecíveis, como: Um Dia de Cão, Serpico e Rede de Intrigas. Mas na sessão Rebobinando desta semana, falaremos sobre uma obra especial que ficou marcada justamente pela sua simplicidade e serve como a prova de que, para um filme ser excelente, um bom roteiro e uma boa direção são mais do que suficientes. Estamos falando de… 12 HOMENS E UMA SENTENÇA (1957) Dirigida por Lumet (seu primeiro filme!) e escrita por Reginald Rose, aRead More
Como vocês sabem, o Rebobinando está de volta. E, obviamente, não poderíamos deixar de trazer ótimos filmes para indicar aos nossos queridos leitores. Desta vez, a qualidade se prova por inúmeras virtudes desta obra pouco conhecida atualmente, porém eterna nos corações dos verdadeiros cinéfilos. Deixamos vocês com uma análise pontual do marcante e memorável… UMA AVENTURA NA ÁFRICA (1951) Como vários outros filmes do período, este possuiu sua versão em preto e branco e também uma versão com cores. Ambas conseguem atingir o espectador em cheio com um roteiro estimulante,Read More