Posted On 20/01/2017 By In Livros

Resenha: A Quinta Onda

Por Giovanna Orlando

O livro A Quinta Onda já começa interessante por juntar um cenário pré-apocalíptico e invasão alienígena. O fim do mundo virou febre entre os livros infanto-juvenis, e as prateleiras estão cheias de sagas explorando sobreviventes de acidentes que desolaram o planeta. Invasão alienígena é um dos temas queridinhos de filmes de ficção-científica pois fazem as pessoas imaginar como os visitantes de outras galáxias parecem e o que eles iriam querer com a Terra.

O grande diferencial da trilogia, iniciada em 2013 pelo autor Rick Yancey, é explorar justamente o fim do mundo. O livro começa com Cassie (não Cassie de Cassandra, mas de Cassiopeia) narrando. Ela conta como era a vida cotidiana de uma adolescente de 16 anos, o colégio, a paixão pelo menino mais popular, a vida em casa e como ela lidava com o irmão mais novo… Até que um dia uma nave espacial surge acima da cidade onde morava.

Deve ser difícil continuar vivendo a rotina e ignorando o fato de que alienígenas estão sobrevoando sua cidade, mas Cassie consegue. Até a hora em que os invasores começam as etapas, ou ondas, para destruir o planeta e seus habitantes. Primeiro, cortaram a eletricidade; imagine viver um apocalipse sem o celular, sem televisão, sem internet e sem nenhum meio de comunicação para saber o que está acontecendo. E ah, sem carro também, para dificultar ainda mais a fuga.

A segunda onda foi literalmente uma onda, um tsunami que engoliu as cidades costeiras e ilhas. Todos os milhões de pessoas que não morreram com o tsunami não tiveram a mesma sorte com a terceira onda: uma epidemia fatal que era transmitida por pássaros. Nove a cada dez pessoas morreram. Só depois disso, os alienígenas já infiltrados na Terra apareceram: eles são chamados de Silenciadores, e o objetivo da quarta onda era matar qualquer sobrevivente que entrasse no território deles.

Não bastasse a preocupação em sobreviver, o objetivo de Cassie é encontrar o seu irmão, Sam, que foi levado por soldados até uma base militar preparada para cuidar de sobreviventes. Para isso, Cassie, que não confia em ninguém e vive acompanhada de seu rifle e um ursinho de pelúcia, conta com uma ajuda inesperada, e o resto da trama se desenrola em uma aventura prazerosa de se ler.

Um dos pontos mais positivos do livro é a mudança de narradores. Não conhecemos só Cassie e seu ponto de vista e jeitos de lidar com o inimigo. Conhecemos também Zumbi, codinome de Ben Parish, um sobrevivente da epidemia que agora é treinado na base militar para se tornar um dos soldados que irão impedir os invasores de dominar a terra.

O divertido do livro é ver como os Outros (como Cassie apelidou os alienígenas) são tratados. Para quem se acostumou a vê-los como monstrinhos verdes, cabeçudos, com os olhos esbugalhados, absurdamente inteligentes e que falam que nem o Yoda, a retratação deles neste livro vai ser um choque. Os Outros são exatamente como nós, se portam, falam e agem como nós. É impossível saber quem ainda é humano e quem não é. Em uma guerra contra um inimigo invisível, em quem você confiaria?

A escrita do livro é fluida, os personagens bem construídos e há bons arcos. O autor trouxe uma complexidade impressionante aos personagens quando aprofunda os sentimentos e emoções de cada um. Depois de um tempo, você se sente íntima deles e já meio que sabe como eles agiriam em determinada situação, mas o livro passa longe de ser totalmente previsível e ainda rende ótimas reviravoltas. É difícil de largar e não se questionar o que você faria para sobreviver se estivesse no lugar deles.

Nome: A Quinta Onda
Autor: Rick Yancey
Edição:

Ano: 2013
Páginas: 368
Sinopse: Depois da primeira onda, só restou a escuridão. Depois da segunda onda, somente os que tiveram sorte sobreviveram. Depois da terceira onda, somente os que não tiveram sorte sobreviveram. Depois da quarta onda, só há uma regra: não confie em ninguém. Agora inicia-se A QUINTA ONDA. No alvorecer da quinta onda, em um trecho isolado da rodovia, Cassie foge deles. Os seres que parecem humanos, que andam pelo campo matando qualquer um. Que dispersaram os últimos sobreviventes da Terra. Cassie acredita que, estar sozinho é estar vivo, até que conhece Evan Walker. Sedutor e misterioso, Evan Walker pode ser a única esperança de Cassie para resgatar seu irmão — ou até a si mesma. Mas Cassie deve escolher entre a esperança e o desespero, entre a rebeldia e a entrega, entre a vida e a morte. Entre desistir ou contra atacar.

Por Giovanna Orlando O livro A Quinta Onda já começa interessante por juntar um cenário pré-apocalíptico e invasão alienígena. O fim do mundo virou febre entre os livros infanto-juvenis, e as prateleiras estão cheias de sagas explorando sobreviventes de acidentes que desolaram o planeta. Invasão alienígena é um dos temas queridinhos de filmes de ficção-científica pois fazem as pessoas imaginar como os visitantes de outras galáxias parecem e o que eles iriam querer com a Terra. O grande diferencial da trilogia, iniciada em 2013 pelo autor Rick Yancey, é explorar justamente o fim do mundo. O livro começa com Cassie (não Cassie de Cassandra, mas de Cassiopeia) narrando. Ela conta como era a vida cotidiana de uma adolescente de 16 anos, o colégio, a paixão pelo menino mais popular, a vida em casa e como ela lidava com o irmão mais novo... Até que um dia uma nave espacial surge acima da cidade onde morava. Deve ser difícil continuar vivendo a rotina e ignorando o fato de que alienígenas estão sobrevoando sua cidade, mas Cassie consegue. Até a hora em que os invasores começam as etapas, ou ondas, para destruir o planeta e seus habitantes. Primeiro, cortaram a eletricidade; imagine viver um apocalipse sem o celular, sem televisão, sem internet e sem nenhum meio de comunicação para saber o que está acontecendo. E ah, sem carro também, para dificultar ainda mais a fuga. A segunda onda foi literalmente uma onda, um tsunami que engoliu as cidades costeiras e ilhas. Todos os milhões de pessoas que não morreram com o tsunami não tiveram a mesma sorte com a terceira onda: uma epidemia fatal que era transmitida por pássaros. Nove a cada dez pessoas morreram. Só depois disso, os alienígenas já infiltrados na Terra apareceram: eles são chamados de Silenciadores, e o objetivo da quarta onda era matar qualquer sobrevivente que entrasse no território deles. Não bastasse a preocupação em sobreviver, o objetivo de Cassie é encontrar o seu irmão, Sam, que foi levado por soldados até uma base militar preparada para cuidar de sobreviventes. Para isso, Cassie, que não confia em ninguém e vive acompanhada de seu rifle e um ursinho de pelúcia, conta com uma ajuda inesperada, e o resto da trama se desenrola em uma aventura prazerosa de se ler. Um dos pontos mais positivos do livro é a mudança de narradores. Não conhecemos só Cassie e seu ponto de vista e jeitos de lidar com o inimigo. Conhecemos também Zumbi, codinome de Ben Parish, um sobrevivente da epidemia que agora é treinado na base militar para se tornar um dos soldados que irão impedir os invasores de dominar a terra. O divertido do livro é ver como os Outros (como Cassie apelidou os alienígenas) são tratados. Para quem se acostumou a vê-los como monstrinhos verdes, cabeçudos, com os olhos esbugalhados, absurdamente inteligentes e que falam que nem o Yoda, a retratação deles neste livro vai ser um choque. Os Outros são exatamente como nós, se portam, falam e…

Nota

A Quinta Onda

Ótimo

80

Tags : , , , ,