Arquivos califórnia filmes | Cinematecando

califórnia filmes Tag

Imagem do filme Submersão

Posted On abril 5, 2018By Caio LopesIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Submersão

Novo filme de Wim Wenders parece inteiramente escrito no improviso Uma boa ideia raramente sobrevive à tradução para o cinema sem uma execução clara. É o que acontece como o veterano Wim Wenders em seu novo longa de ficção, Submersão. Numa tentativa promissora de misturar existencialismo, romance e suspense de espionagem, Wenders se perde em meio a seu filme, um monstro de Frankenstein. No início, tudo parece bem. A trilha musical de Fernando Velázquez surge com certa elegância, assim como o rosto de Dani (Alicia Vikander) dentro de um traje deRead More

Posted On fevereiro 1, 2018By Barbara DemerovIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Eu, Tonya

Filme de Craig Gillespie apresenta retrato satírico e doloroso sobre Tonya Harding Nesta temporada de premiações, um dos maiores destaques em termos de atuação vai para Margot Robbie, que enfrentou o desafio de viver uma personalidade que fez história ao executar o salto triple axel em competições no gelo – mas não só por isso. Ao encarnar Tonya Harding, ex-patinadora que viu sua carreira e vida pessoal virarem de cabeça para baixo após um dos maiores escândalos no esporte dos EUA, Robbie domina a personagem e eleva sua carreira a outro patamar. Na direçãoRead More

Posted On novembro 1, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Terra Selvagem

O gênero faroeste, até a década de sessenta, era o mais popular dentro da indústria cinematográfica hollywoodiana. Com No Tempo das Diligências, do renomado diretor John Ford, que este gênero começou a alçar fama – assim como o ator John Wayne, que passaria a ser visto como uma estrela de cinema. De 1939 até os dias atuais, o faroeste, assim como tudo, transformou-se. Foram aparecendo diretores – de Cecil B. DeMille a John Sturges, de Howard Hawks a Anthony Mann, de Alejandro Jodorowsky a Sam Peckinpah – que apresentariam distintasRead More

Posted On outubro 10, 2017By Caio LopesIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Doentes de Amor

Tem horas em que a vida dá um filme. Para Kumail Nanjiani e Emily V. Gordon, isso não é diferente. O casal de roteiristas escreveu a comédia romântica Doentes de Amor, que estreia no dia 19 de outubro, com base em uma inusitada época de seu relacionamento. Apesar de ser uma história real, recomendo que evite o próximo parágrafo caso queira manter algumas surpresas intactas. Sabem como é. Logo em sua primeira cena, o jovem comediante paquistanês Kumail (Kumail Nanjiani) conhece Emily (Zoe Kazan), e os dois logo se apaixonam.Read More

Posted On setembro 7, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Dupla Explosiva

“Tic-tac, motherfucker!” Duas palavras! São necessárias apenas duas palavras para saber o que serão as quase duas horas de Dupla Explosiva. Este filme, que liderou as bilheterias nos Estados Unidos nos dois últimos finais de semana, tem objetivos bem claros: entreter e provocar riso ao espectador. Sem brilhantismo e apoiado sob um enredo tão genérico quanto a tradução brasileira do filme, estranhamente, Dupla Explosiva alça um nível satisfatório e consegue isso por dois fatores: Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson. Esse duo é o centro de um filme que conta aRead More

Posted On janeiro 28, 2017By Beatriz RibeiroIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Minha Vida de Abobrinha

Por Beatriz Ribeiro Falar de assuntos delicados como morte, abandono e crianças carentes pode soar melancólico (principalmente pelo fato de não ser um tema alegre), e pensar que uma animação usou essa temática em sua história nós faz supor que lá vem um filme triste. Você já vai assistir preparado para chorar litros e se sentir devastado por uma realidade fria e dolorosa. Porém, o longa de animação Minha Vida de Abobrinha nos mostrou que podemos enxergar os fatos de um modo mais descontraído e carinhoso através da perspectiva eRead More

Posted On dezembro 14, 2016By Caio LopesIn Críticas - Lançamentos

Crítica: A Qualquer Custo

Começo este texto com uma constatação aleatória: no decorrer de A Qualquer Custo, neo-western indicado a três Globos de Ouro (e agora, dois meses após a publicação deste texto, indicado a quatro Oscars), memórias do excelente longa nacional Boi Neon, de Gabriel Mascaro, surgiam constantemente. Tal comparação podia terminar já na fotografia, que faz uso de luz natural e traz um tratamento de cor que insere alguns elementos vivos em imagens majoritariamente secas e sóbrias. Apesar disso, o principal ponto comum de ambos longas está nos seus retratos sensíveis e,Read More