Artigos | Cinematecando
Depois do que foi um ano atípico para o cinema, era de se esperar que o catálogo disponível de filmes sofresse com as sérias consequências deixadas pelo fechamento das salas ao redor do globo. No entanto, as plataformas de streaming seguiram firmes e fortes com um volume considerável de conteúdo, e agora veremos muito provavelmente uma temporada de premiações marcada pela presença em massa de filmes distribuídos pela Netflix e a Amazon Prime Video, para nomear apenas algumas.  Neste texto, vamos destacar os elos fortes de cada título da temporadaRead More
Muito já se ouviu falar sobre Ari Aster desde que seu longa de estreia, Hereditário (2018), tomou grandes proporções e impressionou a crítica mundial, se configurando em inúmeras listas como um dos melhores filmes de horror da década. Após o lançamento de seu aguardado e até então mais recente filme, Midsommar (2019), também popular entre os fãs do gênero e aclamado de forma geral, se torna evidente que ainda mais comentários positivos serão feitos sobre o talento do diretor em conduzir medo e tensão utilizando artifícios não convencionais. Desde 2018,Read More
A continuação da adaptação de IT – A Coisa lançada nos cinemas há dois anos vem com a responsabilidade de dar sequência ao filme de terror com a maior bilheteria de todos os tempos entre as produções para maiores de 18 anos. Foram nada menos do que US$ 700 milhões arrecadados no mundo todo, cifra que a Warner pretende repetir com It: Capítulo Dois.  Pressão? O diretor argentino Andy Muschietti e sua irmã, a produtora Barbara, juram que não. “Eu acho que a expectativa dos fãs é algo que a genteRead More
Quem procura uma distração na Netflix  para o fim de semana, é bom passar longe de Olhos que Condenam. A minissérie é fortemente não recomendada para quem busca o sono dos justos, também conhecido como autoengano. A minissérie de Ana DuVernay é uma mola propulsora das revoltas mais agudas para quem vive em 2019 – e olha que a história, baseada em fatos reais, é de 1989, e a concorrência 30 anos depois é considerável. O que irrita nos quatro capítulos da série é que, se você tem qualquer referênciaRead More
Semana passada, ao escrever, para o UOL, uma reportagem sobre o fenômeno Vingadores: Ultimato, ouvi de um professor de cinema que a hegemonia dos filmes de super-heróis fatalmente levaria os realizadores brasileiros a uma encruzilhada. De duas, uma. Ou haveria uma tentativa de copiar o modelo de sucesso nas bilheterias, levando à produção de uma espécie de pastiche do cinema americano, ou os cineastas nacionais dobrariam a aposta na resistência, como fizeram os idealizadores do cinema novo. Com o celular na mão e uma encruzilhada na cabeça, repassei a questãoRead More
Vingadores: Ultimato já é um marco histórico do cinema deste século XXI. Não falo isso pelos recordes de bilheteria que acumula desde sua estreia, e nem apenas pelo fato de ser a conclusão de um ciclo iniciado pela Marvel onze anos antes, quando o primeiro Homem de Ferro apresentou ao mundo a ideia de um universo interconectado por múltiplas aparições de personagens, easter eggs e cenas pós-créditos. Mais do que o filme em si, é interessante a reflexão sobre o que essa superprodução significa como o auge de uma culturaRead More
No livro O Mal-Estar na Civilização, Freud escreve que uma das exigências ideais da sociedade civilizada é a que determina amar ao próximo como a ti mesmo – uma ordem, segundo ele, mais antiga do que o cristianismo. De lá para cá, muitas das perturbações psíquicas dos indivíduos ao longo da história resultam do descumprimento certo de uma norma inalcançável. “Como levar isso ao cabo?”, questiona o autor. Em O Mau Exemplo de Cameron Post, filme vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Sundance 2018 e que agoraRead More
O conceito de cinema traficante, muito bem explicado por Martin Scorsese em seu documentário Uma Viagem Pessoal Pelo Cinema Americano, é um tema essencial para entender a questão da autoria no cinema dos Estados Unidos. Scorsese explicita ali como, trabalhando num rígido sistema de estúdios onde os produtores e mandatários de companhias cinematográficas eram os grandes donos dos filmes na antiga Hollywood, alguns diretores conseguiam seguir e atender as necessidades deste esquema de cinema industrial, mas através de procedimentos estéticos colocavam suas visões de mundo nessas obras, traficando ideias noRead More