Crítica: Crossover musical entre as séries The Flash e Supergirl | Cinematecando

Posted On 24/03/2017 By In Artigos - Séries, Críticas - Séries, Séries

Crítica: Crossover musical entre as séries The Flash e Supergirl

Esta semana foram ao ar nos EUA os episódios do crossover musical das séries Supergirl e The Flash, que tinha sido anunciado há um bom tempo, deixando os fãs receosos. A história começa no episódio 16 da atual temporada de Supergirl, intitulado Star-Crossed, onde Kara descobre um segredo escondido por Mor-El durante nove meses. Isso abala seriamente a relação dos dois e, então, o vilão Music Meister aparece e drena os poderes de Kara, deixando-a em coma e com a mente presa dentro de um musical.  Já no episódio 17 da quarta temporada de The Flash, intitulado Duet, Mor-El e J’onn levam Kara para o mundo de The Flash para contarem com a ajuda da equipe do Star Labs e avisar a Barry que ele será a próxima vítima do vilão alienígena; mas quando Flash e Kid Flash tentam atacar Music Meister, Wally West é lento demais e Barry é colocado nas mesmas condições de Kara, enquanto o vilão usa os poderes drenados dos heróis para seus próprios interesses.

Embora sejam conhecidos hoje por seus papéis como super-heróis da DC, Grant Gustin e Melissa Benoist conheceram a fama anos atrás, quando trabalhavam na série musical Glee, e o crossover de alguma forma homenageia este passado dos dois ao escalar o ator Darren Criss, que também trabalhou em Glee, para interpretar o vilão. No episódio de The Flash, quando Kara e Barry se vêem presos dentro de um musical, percebem que a única maneira de sair daquela realidade é seguir todos os clichês que existem no gênero – e isso está longe de ser uma crítica aos musicais, sendo mais uma homenagem muito bem-feita e engraçada, com clássicos com Moon River, Put A Little Love In Your Heart e More I Cannot Wish You interpretados de maneira impecável pelos atores do universo DC.

Além das canções já conhecidas, o crossover apresenta duas músicas inéditas: Superfriends, escrita por Rachel Bloom e interpretada por Grant e Melissa, e a emocionante Running Home To You, que Barry canta para Iris no final do episódio Duet, composta por Benj Pasek e Justin Paul (que ganharam o Oscar este ano por City Of Stars, de La La Land).

O crossover não é só uma referência ao passado dos atores ou uma homenagem aos musicais. Ele também é o respiro cômico que as séries precisavam – principalmente The Flash, ao se aproximarem dos eventos que levam aos episódios finais das atuais temporadas. O único problema dos episódios é o vilão, que foi mal explicado e subaproveitado na produção, mas dependendo da aceitação do público, acho que existem chances de vermos o Music Meister de volta nas próximas temporadas.

As temporadas atuais de Supergirl e The Flash são exibidas semanalmente pela CW nos EUA e pela Warner Channel no Brasil. As temporadas passadas de ambas as séries podem ser encontradas na Netflix.

Esta semana foram ao ar nos EUA os episódios do crossover musical das séries Supergirl e The Flash, que tinha sido anunciado há um bom tempo, deixando os fãs receosos. A história começa no episódio 16 da atual temporada de Supergirl, intitulado Star-Crossed, onde Kara descobre um segredo escondido por Mor-El durante nove meses. Isso abala seriamente a relação dos dois e, então, o vilão Music Meister aparece e drena os poderes de Kara, deixando-a em coma e com a mente presa dentro de um musical.  Já no episódio 17 da quarta temporada de The Flash, intitulado Duet, Mor-El e J’onn levam Kara para o mundo de The Flash para contarem com a ajuda da equipe do Star Labs e avisar a Barry que ele será a próxima vítima do vilão alienígena; mas quando Flash e Kid Flash tentam atacar Music Meister, Wally West é lento demais e Barry é colocado nas mesmas condições de Kara, enquanto o vilão usa os poderes drenados dos heróis para seus próprios interesses. Embora sejam conhecidos hoje por seus papéis como super-heróis da DC, Grant Gustin e Melissa Benoist conheceram a fama anos atrás, quando trabalhavam na série musical Glee, e o crossover de alguma forma homenageia este passado dos dois ao escalar o ator Darren Criss, que também trabalhou em Glee, para interpretar o vilão. No episódio de The Flash, quando Kara e Barry se vêem presos dentro de um musical, percebem que a única maneira de sair daquela realidade é seguir todos os clichês que existem no gênero - e isso está longe de ser uma crítica aos musicais, sendo mais uma homenagem muito bem-feita e engraçada, com clássicos com Moon River, Put A Little Love In Your Heart e More I Cannot Wish You interpretados de maneira impecável pelos atores do universo DC. Além das canções já conhecidas, o crossover apresenta duas músicas inéditas: Superfriends, escrita por Rachel Bloom e interpretada por Grant e Melissa, e a emocionante Running Home To You, que Barry canta para Iris no final do episódio Duet, composta por Benj Pasek e Justin Paul (que ganharam o Oscar este ano por City Of Stars, de La La Land). O crossover não é só uma referência ao passado dos atores ou uma homenagem aos musicais. Ele também é o respiro cômico que as séries precisavam - principalmente The Flash, ao se aproximarem dos eventos que levam aos episódios finais das atuais temporadas. O único problema dos episódios é o vilão, que foi mal explicado e subaproveitado na produção, mas dependendo da aceitação do público, acho que existem chances de vermos o Music Meister de volta nas próximas temporadas. As temporadas atuais de Supergirl e The Flash são exibidas semanalmente pela CW nos EUA e pela Warner Channel no Brasil. As temporadas passadas de ambas as séries podem ser encontradas na Netflix.

Crossover musical: The Flash e Supergirl

Direção
Roteiro
Elenco
Fotografia
Trilha Sonora

Ótimo

84