Cine PE 2018 chega ao fim e premia documentário "Henfil"; confira todos os vencedores | Cinematecando

Posted On 06/06/2018 By In Filmes, Notícias

Cine PE 2018 chega ao fim e premia documentário “Henfil”; confira todos os vencedores

Documentário sobre cartunista conquistou júri oficial e público; longa carioca “Os Príncipes” também foi um dos destaques desta edição, levando para casa seis Calungas de Prata

Foto: Felipe Souto Maior

A 22ª edição do Cine PE – Festival do Audiovisual chegou ao fim na noite desta terça-feira (5), no Cinema São Luiz, e consagrou o documentário Henfil como o Melhor Longa-Metragem escolhido pelo Júri Oficial do evento e pelo Júri Popular. Dirigido por Angela Zoé, a trama resgata a história de Henrique de Souza Filho (1944-1988), cartunista, jornalista e escritor mineiro mais conhecido como Henfil.

O falso documentário Vidas Cinzas, de Leonardo Martinelli, ganhou o prêmio de Melhor Curta Nacional, enquanto que na Mostra Competitiva de Curtas Pernambucanos o vencedor foi Uma Balada para Rocky Lane, dirigido por Djalma Galindo. O documentário Marias, de Yasmin Dias, e as animações Insone, de Débora Pinto e Breno Guerreiro, e Plantae, de Guilherme Gehr, receberam Menção Honrosa do júri.

O Júri Oficial do Cine PE foi formado pelo produtor executivo e gestor em marketing cultural Emerson Rodrigues; a diretora, roteirista e produtora de cinema Luci Alcântara; o ator, diretor, produtor cultural e professor Sérgio Fidalgo; a produtora e diretora Tete Moraes; o engenheiro, curador, pesquisador e preservador da Cinemateca Cine Royal, Luiz Cardoso Ayres Filho; o diretor do Festival de Cinema de Gramado entre 1978 e 2000, Esdras Rubin; o diretor Francisco Ramalho Junior; e a publicitária Jal Guerreiro.


JÚRI POPULAR – Este ano, pela primeira vez, o público pôde eleger seus filmes favoritos nas três mostras competitivas do festival por meio de um aplicativo para smartphone. O melhor curta pernambucano foi Edney, de João Roberto Cintra, enquanto a animação Plantae, de Guilherme Gehr, foi eleita o melhor curta nacional. O melhor longa-metragem, para o Júri Popular, foi Henfil, de Angela Zoé.

PRÊMIO DA CRÍTICA – Composto por Diego Olivares, do portal Yahoo (SP); Clarissa Kuschnir, Revista Preview (SP); Francisco Carbon, Jornal do Brasil (RJ);  e Breno Pessoa do Diário de Pernambuco (PE), a crítica especializada concedeu a Calunga de Melhor Longa para Christabel, de Alex Levy-Heller. O prêmio de Melhor Curta Nacional foi para Abismo, de Ivan de Angeli, e o de Melhor Curta Pernambucano foi para Seja Feliz, de Diego Melo. O documentário Universo Preto Paralelo, de Rubens Passaro, recebeu menção honrosa da crítica, por fazer uma ponte entre histórias de violência e repressão desde a época da escravatura, passando pela Ditadura Militar, até os dias atuais.

PRÊMIO CANAL BRASIL DE CURTAS – Com júri formado por Ismaelino Pinto, do jornal O Liberal (PA); Francisco José Carbone, do Jornal do Brasil (RJ); Clarissa Kuschnir,  Revista Preview (SP); João Victor Figueira, do site Adoro Cinema (RJ), Diego Olivares, do portal Yahoo (SP); e Barbara Demerov, do site Cinematecando (SP), o Prêmio Canal Brasil elegeu como melhor curta Universo Preto Paralelo, de Rubens Passaro. Com o objetivo de estimular a nova geração de cineastas, o Canal Brasil oferece um troféu e R$ 15 mil para o melhor filme de curta-metragem, que também é exibido em sua grade de programação. Além disso, o curta vencedor se classifica para concorrer ao Grande Prêmio Canal Brasil de Curtas-Metragens, no valor de R$ 50 mil.

PRÊMIO CIA RIO – A CiaRio vai premiar as três produções escolhidas pelo Júri Oficial nas três mostras (o carioca “Vidas Cinzas”, o pernambucano Uma Balada para Rocky Lane e o documentário carioca Henfil). Os filmes eleitos ganharão locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da empresa NAYMAR.

PRÊMIO PORTOMÍDIA – O Porto Mídia irá conceder 120 horas em laboratórios de pós-produção em imagem e/ou som para Djalma Galindo diretor de Uma Balada para Rocky Lane, escolhido pelo Júri Oficial do evento como Melhor Curta pernambucano.


Confira lista completa de premiados:

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

Melhor Filme – “Uma Balada para Rocky Lane”

Melhor Direção – Diego Melo (“Seja Feliz”)

Melhor Roteiro – Fabio Ock (“Seja Feliz”)

Melhor Fotografia – Henrique Spencer (“Frequências”)

Melhor Montagem – Marcos Buccini (“O Consertador de Coisa Miúdas”)

Melhor Edição de Som – Adalberto Oliveira (“Frequências”)

Melhor Trilha Sonora – Neilton Carvalho (“O Consertador de Coisas Miúdas”)

Melhor Direção de Arte – Lia Letícia (“Frequências”)

Melhor Ator – Heraldo Carvalho (“Edney”)

Melhor Atriz – Roberta Mharciana (“Cara de Rato”)

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

Melhor Filme – “Vidas Cinzas”

Melhor Direção – Klaus Hastenreiter (“Não Falo com Estranhos”)

Melhor Roteiro – Rubens Passaro (“Universo Preto Paralelo”)

Melhor Fotografia – Ivanildo Machado (“Sob o Delírio de Agosto)

Melhor Montagem – Pedro de Aquino (“Vidas Cinzas”)

Melhor Edição de Som – Rafael Vieira (“Abismo”)

Melhor Trilha Sonora – Alexsandra Stréliski e Ludovico Einaudi (“Plantae”)

Melhor Direção de Arte – Rachel Oleksy (“Teodora Quer Dançar”)

Melhor Ator – Jurandir de Oliveira (“Abismo”)

Melhor Atriz – Mariana Badan (“Teodora quer Dançar”)

MENÇÕES HONROSAS

“Marias” – Pela relevância do tema apresentado através de depoimentos reais, emocionantes e contundentes.

“Plantae” – Pela atualidade e importância do tema abordado lindamente de forma simbólica e poética.

“Insone” – Pela capacidade de síntese na narração em tão pouco tempo, de uma história de aventura do imaginário infantil.

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS:

Melhor Filme – “Henfil”

Melhor Direção – Angela Zoé (“Henfil”)

Melhor Roteiro – Angela Zoé e Gabriela Javier (“Henfil”)

Melhor Fotografia – Alisson Prodlik (“Os Príncipes”)

Melhor Montagem – João Rodrigues e Indira Rodrigues (“Henfil”)

Melhor edição de som – Marcito Vianna (“Os Príncipes”)

Melhor Trilha Sonora – Gustavo Jobim (“Os Príncipes”)

Melhor Direção de Arte – Letycia Rossi (“Dias Vazios”)

Melhor Ator Coadjuvante – Tonico Pereira (“Os Príncipes”)

Melhor Atriz Coadjuvante – Carla Ribas (“Dias Vazios”)

Melhor Ator – Ex-Aequo: Igor Cotrim (“Os Príncipes”) e Arthur Ávila (“Dias Vazios”)

Melhor Atriz – Patrícia Niedermeier (“Os Príncipes”)

PRÊMIO DA CRÍTICA

Melhor Longa-Metragem – “Christabel”

Melhor Curta Nacional – “Abismo”

Melhor Curta Pernambuco – “Seja Feliz”

PRÊMIO CANAL BRASIL

Melhor Curta: “Universo Preto Paralelo” (SP)

Tags : , , , , ,

Jornalista especializada em cinema. Fundadora e editora-chefe do Cinematecando. Trabalhou como assessora de imprensa na 41ª edição da Mostra Internacional de Cinema e apresenta o canal do site no YouTube.