Cinquenta Tons De Liberdade encerra a franquia da melhor forma | Cinematecando

Posted On 08/02/2018 By In Artigos, Filmes

Cinquenta Tons De Liberdade encerra a franquia da melhor forma

Christian Grey e Anastasia Steele retornam às telonas pela última vez

Abrindo com cenas de seu casamento e lua de mel, a última passagem de Christian Grey e Anastasia Steele já sabe a que veio desde o início: deixar os fãs bem felizes.

O último capítulo da famosa franquia consegue criar momentos ainda mais fofos entre o casal, interpretado por Dakota Johnson e Jamie Dornan. Ambos já demonstraram mais conforto e química em Cinquenta Tons Mais Escuros, provando que a direção de James Foley claramente ajudou a “quebrar o gelo” entre os atores, visto que no primeiro filme eles realmente não pareciam estar à vontade – além de que Dakota chegou a usar dublê de corpo nas cenas íntimas. Agora mais à vontade, Dakota tem uma presença bem mais marcante (principalmente nas cenas de sexo), enquanto Jamie não traz nenhuma novidade ao personagem, deixando todo o brilho para sua parceira. O diretor fez dos dois últimos filmes algo mais romântico e sensual do que vimos no primeiro filme, em 2015.

Os fãs dos livros e dos filmes possivelmente irão notar que as cenas de sexo ficaram um pouco abaixo do foco central de Cinquenta Tons De Liberdade, dando espaço para as novas situações que os recém-casados terão de enfrentar. Filhos, ameaças perigosas e brigas sobre o futuro ocupam boa parte do tempo na narrativa, mas não se preocupe: as cenas de sexo estão mais intensas e naturais, deixando claro que a essência da trilogia continua lá!

A ação também participa ativamente da narrativa. Jack Hyde, antigo chefe de Ana que já se provou bem ameaçador no filme anterior, novamente dá as caras… só que dessa vez, de uma maneira muito pior. Agora, no terceiro capítulo, finalmente descobrimos as verdadeiras intenções do vilão. Sim, algumas situações continuam sem muito pé nem cabeça, mas no fundo é possível entender suas motivações (e odiá-lo por isso). Hyde traz a dose de suspense e ação necessárias para manter os espectadores ligados na telona, além de ajudar a unir ainda mais Ana e Christian no fim das contas.

No longa, Anastasia se prova uma mulher de atitude e personalidade própria, que mesmo casada com seu grande amor, deixa claro que as coisas nem sempre serão como ele gostaria. Christian vive em um mundo particular onde consegue tudo o que quer, e Ana de certa forma consegue “domar” a fera de modo que ele enxergue que a vida não precisa ser sempre cheia de regras e punições, resultando em ótimas cenas de Dakota Johnson. O brilho é todo dela, e a atriz aproveita bem a chance de dar um exemplo a todas as mulheres sobre o que é se impor e não deixar que seu parceiro trace limites inexplicáveis em sua pessoal e profissional. Ou seja: como um relacionamento normal deve ser!

Para as mulheres que são fãs da franquia, a mensagem que o filme passa é muito bem-vinda – principalmente em tempos que relacionamentos e comportamentos abusivos não têm mais vez. Mesmo sendo uma trilogia de sexo, a lição do que realmente significa o casamento e o companheirismo entre um casal fica mais ainda mais destacada que as cenas picantes.

Ah! Com destaque para Capital Letters, da jovem atriz (e boa cantora) Hailee Steinfeld, Never Tear Us Apart, de Bishop Briggs e até mesmo um cover de Maybe I’m Amazed, de Paul McCartney (interpretada pelo próprio Jamie Dornan), a trilha sonora de Cinquenta Tons De Liberdade continua com uma ótima qualidade, digna de se ouvir repetidas vezes.

Cinquenta Tons De Liberdade encerra a história de amor entre Ana e Christian da maneira como já era esperada: romântica e marcante. Corra para o cinema!

Tags : , , , ,

Jornalista especializada em cinema. Fundadora e editora-chefe do Cinematecando. Trabalhou como assessora de imprensa na 41ª edição da Mostra Internacional de Cinema e apresenta o canal do site no YouTube.