Crítica: O Bom Gigante Amigo | Cinematecando

Posted On 27/07/2016 By In Críticas - Lançamentos

Crítica: O Bom Gigante Amigo

Steven Spielberg sabe muito bem como marcar a vida das pessoas com seu modo único de contar histórias. De E.T a Lincoln, o diretor, que possui mais de 40 anos de carreira, sempre traz um certo tom de magia, cativando os espectadores facilmente com personagens maravilhosos. Felizmente, este cenário continua o mesmo em O Bom Gigante Amigo, filme que ficou muitos anos em produção, mas que finalmente marca seu retorno ao universo infantil.

Baseado no clássico livro do escritor Roald Dahl (criador das histórias A Fantástica Fábrica de Chocolate e Matilda), o filme combina live-action e captura de performances para dar vida ao mundo dos gigantes e contar as aventuras da menina órfã Sophie (Ruby Barnhill), que, quando fica fora da cama até tarde e acaba vendo um gigante no meio da cidade, acaba sendo sequestrada por ele e é levada para o distante país da criatura.

Mas o gigante acaba se tornando um verdadeiro amigo de Sophie e sua vida nunca mais será a mesma. O desenvolvimento da amizade entre o Bom Gigante Amigo e a pequena garota é cativante e adorável, contado com muita delicadeza no maior estilo Spielberg e que, mesmo sendo abordado em muitas das cenas, não se torna cansativo. É inevitável criar empatia pelo BGA e torcer para que ele se livre de seus vizinhos gigantes – que possuem o dobro de seu tamanho.

O alto uso de efeitos digitais é um fator que poderá incomodar alguns espectadores e tornar a experiência mais artificial, principalmente pelos contrastes dos gigantes com a pequena Sophie. Mas nada disso é um grande problema quando vemos atuações incríveis e emocionantes de Mark Rylance na pele do BGA e, claro, de Ruby. Rylance, que já levou o Oscar de Melhor Ator para casa este ano (e por um filme de Spielberg, Ponte dos Espiões), entrega aqui um trabalho feito claramente com muito gosto e carinho, seja nas imperfeições do Gigante Amigo em seu jeito de falar ou em seu modo de se expressar com olhares. Ruby, ao interpretar Sophie, se tornou mais um dos belos personagens infantis que Spielberg eterniza em seus filmes: ela é forte, firme, carismática e curiosa. Sabe o que quer, e o que ela quer é apenas ajudar seu BGA.

O Bom Gigante Amigo certamente agradará tanto o público infantil e o adulto por suas belas mensagens de amizade e amor; tudo isso em meio ao estilo britânico de ser e até com a presença da Rainha da Inglaterra. Steven Spielberg realmente sempre surpreende e nunca é demais.

O filme estreia dia 28 de julho nos cinemas brasileiros!

FICHA TÉCNICA
Direção: Steven Spielberg
Roteiro: Melissa Mathison
Elenco: Adam Godley, Bill Hader, Callum Seagram Airlie, Daniel Bacon, Graham Curry, Haig Sutherland, Jemaine Clement, John Emmet Tracy, Julia Torrance, Marilyn Norry, Mark Rylance, Michael Adamthwaite, Ólafur Darri Ólafsson, Penelope Wilton, Rebecca Hall, Ruby Barnhill
Produção: Frank Marshall, Sam Mercer, Steven Spielberg
Fotografia: Janusz Kaminski
Montagem: Michael Kahn
Trilha Sonora: John Williams
Duração: 117 min.

Jornalista especializada em cinema. Fundadora e editora-chefe do Cinematecando. Foi assessora de imprensa na 41ª edição da Mostra Internacional de Cinema e hoje é redatora e repórter do portal AdoroCinema.