Posted On abril 6, 2017 By In Artigos

Indicação: As melhores web séries do YouTube

Quando falamos de web series, logo lembramos da nossa locadora vermelha favorita. Contudo, a única maneira de colocar qualquer conteúdo na Netflix, ou em seus concorrentes, é através de uma distribuidora grande. E nem sempre o orçamento permite que isso aconteça.

Ainda bem que isso nunca foi um problema para produtores independentes, uma vez que alguns divulgam suas obras através do bom e velho YouTube. Claro, considerando que são séries independentes com orçamentos limitados, não tem como esperar uma superprodução. E essa é a verdadeira graça das web series, que precisam compensar a falta de recursos com um bom roteiro, direção de fotografia e otimização de recursos. Confira alguns títulos que merecem sua atenção nesse final de semana. Infelizmente, você precisa saber inglês pra curtir a experiência.

THE HAUNTING OF SUNSHINE GIRL (2010 – atualmente)

É interessante como alguns formatos ficam mais interessantes no YouTube. Paige McKenzie começou a série durante o ensino médio sob o pseudônimo de Sunshine Girl. Em resumo, a garota aderiu ao formato documental já utilizado na série Atividade Paranormal, e adicionou o conceito de vlog para conversar mais com a plataforma do YouTube. A missão de McKenzie é investigar acontecimentos sobrenaturais em sua vizinhança .

Um tema bobo de pré-adolescente? Pode até ser à primeira vista. The Haunting of Sunshine Girl (ou A Assombração de Sunshine Girl) acumula mais de 500 mil inscritos e serviu de base para o livro de mesmo nome, co-escrito por McKenzie.

RILEY REWIND (2013)

Quem acompanha a cena do YouTube americano desde o início da década já está familiarizado com o nome de Ray William Johnson. O comediante disputou o posto de maior canal do YouTube com o Smosh por muito tempo, até ambos serem violentamente ultrapassados por PewDiePie.

Você já viu essa receita em Efeito Borboleta, Life is Strange e qualquer outra obra que aborda a teoria do caos. Riley é uma estudante do ensino médio que precisa voltar no tempo para evitar o suicídio de uma colega. Estrelada pela youtuber Anna Akana, Riley Rewind (ou Riley Rebobina) mantém um tom leve e cômico que contrasta muito bem com o peso do tema suicídio. Trata-se de uma série rápida e divertida, com cinco episódios de aproximadamente dez minutos.

RWBY (2013 – atualmente)

Ou Ruby, como pronunciam na internet, começou a ser produzida em 2013, juntando a temática clássica dos animes com contos de fada. Na terra mística de Remnant, jovens precisam lutar para defender seu povo das ameaçadoras criaturas de Grimm.

Os críticos pegaram leve com as características técnicas de RWBY, entendendo que o anime estava abrindo portas para um mundo de possibilidades independentes. Mas isso não impediu que a obra recebesse o prêmio de melhor animação original no International Academy of Web Television Awards.

VIDEO GAME HIGH SCHOOL (2012 – 2014)


O orçamento dessa web série foi um pouco mais gordo que as demais, e podemos ver o reflexo do investimento na qualidade da produção. Em um futuro distópico que não se leva a sério, adolescentes são enviados para escolas de elite que aprimoram suas habilidades como gamers.

Apesar de simples, o plot cômico foi muito elogiado pela crítica. Assim como os efeitos especiais acima da média, capazes de deixar muitos produtores de Hollywood com inveja.

THE HORRIBLY SLOW MURDERER WITH THE EXTREMELY INEFFICIENT WEAPON (2008)

O título mais antigo da nossa lista é também o que se consagrou como uma das primeiras séries virtuais a mostrarem o verdadeiro potencial do YouTube na produção de conteúdo. Muito antes de youtubers milionários, ou a gigantesca quantidade de acessos de hoje, o diretor Richard Gale criou The Horribly Slow Murderer with the Extremely Inefficient Weapon (ou O Abominável Assassinato Lento com a Arma Extremamente Ineficiente).

A produção continua acima da média até hoje, quase dez anos após o lançamento. Seguimos a história de Jack Cucchiaio (Paul Clemens), um patologista forense amaldiçoado por um espírito degenerado que não para de atingi-lo com uma colher. Isso mesmo, a arma extremamente ineficiente do título é uma colher.

Cucchiaio tenta revidar com ferramentas, bastões e até armamento paramilitar, mas nada pode livrá-lo de sua maldição. A web série também foi muito interativa, e a audiência dava dicas sobre como o protagonista deveria revidar. O episódio original acumula 32 milhões de views no YouTube.

Tags : , , , ,

Redator do Cinematecando | Jornalista, 23 anos. Aficionado por música, games, livros, esportes e café. Me interessei por cinema na infância, através de Star Wars, The Matrix e outras nerdices. Gosto de filmes do Tarantino e de momentos solitários com meus fones.