Primeiras impressões: Logan | Cinematecando

Posted On 19/01/2017 By In Artigos, Filmes, Notícias

Primeiras impressões: Logan

No evento para a imprensa que a Fox realizou nesta terça-feira (17), foram divulgados materiais inéditos de seus lançamentos para o primeiro semestre de 2017, incluindo A Cura, Planeta dos Macacos: A Guerra e Alien: Covenant.

Mas agora chegou o momento de falarmos sobre outro longa que marcou o evento: Logan, do diretor James Mangold. Baseado na HQ Velho Logan, este é o último filme em que Hugh Jackman atuará como Wolverine. A data de estreia foi marcada para o dia 02 de março de 2017.

Sinopse: “Em um futuro próximo, um Logan cansado cuida de um Professor X debilitado, escondido na fronteira mexicana. Mas as tentativas de Logan de esconder-se do mundo e de seu legado acabam quando uma jovem mutante chega sendo perseguida por forças sombrias.”

A partir de agora daremos alguns detalhes das cenas que assistimos. Leia por sua conta e risco!

Duas longas sequências foram apresentadas:

A primeira mostra um Logan debilitado e confuso, sem saber onde está. E é aí que somos surpreendidos com uma cena de ação diferente e muito bem filmada, que possui um toque de humor – vindo do próprio Wolverine -, mas que, ao mesmo tempo, esfrega em nossa cara muito sangue e violência. Tais elementos são inseridos com tanta facilidade e agilidade que é impossível não ficar impressionado. Nada disso foi visto em um filme dos X-Men até agora, então é melhor se preparar para assistir a um filme inédito (e com um clima western) que definitivamente funciona e que sabe a que veio. Além disso, vemos uma versão bem mais cool do personagem, e um Hugh Jackman extremamente confortável no papel.

A segunda sequência é mais extensa e ainda mais marcante pois inclui personagens novos, como o mutante Caliban (Stephen Merchant), que auxilia Logan a cuidar do Professor X (Patrick Stewart). O visual de Caliban está bem interessante, mas como aparece pouco em cena, ainda é muito cedo para falar sobre sua participação na narrativa.

Personagens intrigantes

O trecho segue bem o que diz a sinopse oficial. A tensão está sempre pairando no ar, uma vez que Logan se preocupa muito com o Professor Xavier, que se encontra em um estado debilitado (chega até a dar agonia em vê-lo dessa forma, principalmente se lembrarmos dele na trilogia original dos X-Men). Com inimigos chegando na fronteira e uma jovem mutante escondida com eles, Logan se depara com uma situação complicada. E essa é a deixa para mais uma cena de ação eletrizante, que também insere outros personagens na briga…

O antagonista de Logan é Donald Pierce (Boyd Holbrook, de Narcos), o líder dos Carniceiros, grupo de ciborgues que extermina mutantes. Pode até ser que seja cedo dizer isso, mas Boyd leva tanta força à tela que não seria uma grande surpresa caso o vilão se torne um dos mais interessantes da franquia X-Men. Sua presença na preview só perde para a jovem Laura Kinney, a X-23 (Dafne Keen), clone feminino de Wolverine. A atriz mirim só tinha em seu currículo a participação na série Os Refugiados (2014), mas, aqui, ela aparenta ter muito mais tempo em atuação. Seus olhares dizem mais do que qualquer coisa e ainda possui uma força imensurável – que surpreende até o protagonista. A mini-Wolverine roubará todas as cenas em que aparece e merece toda a atenção. Pode anotar!

A dinâmica entre Hugh Jackman, Patrick Stewart e Dafne Keen é animadora. Jackman e Stewart juntos em cena traz uma certa nostalgia àqueles que acompanham a saga desde o início – o que com certeza aumentará a dose de emoção no longa, pois Xavier é o grande mentor de Logan. Enquanto com Keen, poderemos ver uma relação tão intensa quanto, afinal, X-23 é uma criança que precisa de atenção, mas ao mesmo tempo sabe cuidar de si mesma. Ambos são teimosos e aprenderão a ser amigos um do outro. Ele irá protegê-la ou ela irá protegê-lo? Essa, ao meu ver, é a maior questão de todas.

Sangue, sangue e mais sangue

Como se não bastasse a abordagem intimista em relação aos personagens (que são tratados de maneira mais crua, digamos assim), em Logan há uma violência explícita em cena que com certeza fará os fãs de quadrinhos e de filmes de heróis mais ‘reais’ não pararem quietos na cadeira. É realmente tudo aquilo que um mero fã de super-herói quer ver.

A sequência apresentada mostra o motivo de todos estes personagens estarem ali, mas também deixa várias dúvidas, afinal, tanto Logan como Charles Xavier encontram-se um pouco ‘fora de forma’, e a pequena Laura é extremamente misteriosa.

Expectativa acima da média

Com um gostinho de despedida no ar, Logan tem potencial de sobra para ser um dos melhores filmes de super-heróis de 2017. Há ação, violência, drama e humor – tudo isso em um único filme que já é muito especial apenas por ter sido produzido. O diretor James Mangold, que também comandou The Wolverine (2013), tem um material de ouro em suas mãos – e torcemos para que ele tenha saído da melhor maneira possível. Com a preview que conferimos, o filme pode surpreender muitas pessoas. O fato dele ser o último longa protagonizado por Hugh Jackman na pele do personagem que o alçou à fama no ano 2000 com X-Men, com certeza já valerá o ingresso do cinema.

Jornalista especializada em cinema. Fundadora e editora-chefe do Cinematecando. Trabalhou como assessora de imprensa na 41ª edição da Mostra Internacional de Cinema e apresenta o canal do site no YouTube.