Rebobinando: Labirinto – A Magia do Tempo | Cinematecando

Posted On 15/02/2017 By In Filmes, Rebobinando

Rebobinando: Labirinto – A Magia do Tempo

Por Laurana Franco

Sabe aqueles filmes que te fazem voltar diretamente para a infância? Labirinto – A Magia do Tempo certamente foi um dos principais filmes que iniciaram o meu amor pelo cinema. Me lembro até hoje da primeira vez que assisti (talvez com uns 7 ou 8 anos) e fiquei instantaneamente embriagada pelo mundo que Jim Henson criou. Para mim, naquele momento, David Bowie não só se tornou uma inspiração, como um estilo de vida. Por ser um clássico absoluto e completar em breve seus 31 anos, Labirinto merece estar no Rebobinando desta semana.

Coloque-se no lugar de uma jovem de 15 anos, mas não uma garota qualquer; uma menina devoradora de livros e com uma imaginação infinita. Essa é Sarah Williams (brilhantemente encenada por Jennifer Connelly, por sinal) que vive com seu pai, sua madrasta e seu irmãozinho Tobby, um bebezinho que tente a ser um tremendo pé no saco (com o perdão da palavra). E também não podemos esquecer do seu cachorro Merlin, que é um show à parte no filme.

A aventura começa quando Sarah é obrigada a ficar em casa cuidando de Tobby enquanto seus pais saem para jantar. Como a criança não fica quieta um minuto, e por ter roubado um de seus bichinhos de pelúcia favoritos, Sarah finalmente perde a linha e pede para que o Rei dos Duendes leve o garotinho para longe. Sem se dar conta de que estava sendo ouvida, seu pedido é atendido. Neste momento, acontece a cena que faz todo mundo suspirar, se assustar e encantar: David Bowie surge em uma aparição maravilhosa atuando no papel do monarca Jareth. Depois dessa entrada maravilhosa, o rei diz que, para recuperar seu irmão, Sarah precisa atravessar o Labirinto e chegar na Cidade dos Duendes em até 13 horas, ou ele ficaria preso lá para sempre e viraria uma das criaturinhas.

Labirinto – A Magia dos Tempo tem uma aura cinematográfica muito difícil de se encontrar hoje em dia. A combinação das músicas, os figurinos e a fotografia tornam o filme uma peça única, onde tudo se converge em um roteiro belíssimo e cheio de fantasia.

Aliás, não se pode falar de Labirinto sem pelos menos comentar um pouquinho das músicas. A soundtrack produzida por Bowie certamente só poderia ser melhor se fosse refeita pelo próprio. A icônica As The World Falls Down (que ainda toca nas rádios de São Paulo) completa perfeitamente a cena do baile, mas Within You, Underground e Magic Dance não ficam nada atrás.

Uma das brincadeiras do diretor Jim Henson no filme foi a de sempre inserir faces ocultas de Jareth para mostrar que ele era um ser onipresente em seu labirinto. Na foto acima existe uma delas, você consegue encontrar?

Labirinto – A Magia do Tempo é um filme sobre fantasia, aventura, amizade e amadurecimento. Se você ainda não viu, certamente precisa colocá-lo em sua lista de “próximos filmes para assistir”. Caso já conheça, vale a pena rever só para caçar todas as aparições secretas de Bowie.

FICHA TÉCNICA
Título Original: Labyrinth
Direção: Jim Henson
Produção: Henson Associates (HA), Lucasfilm, Jim Henson Company
Roteiro: Dennis Lee, Jim Henson
Gênero: Fantasia
Duração: 101 minutos
Elenco:  David Bowie (Jareth), Jennifer Connelly (Sarah), Toby Froud (Toby), Brian Henson (Hoggle)