Sete coisas que queremos ver em Rogue One: A Star Wars Story | Cinematecando

Posted On 27/04/2016 By In Artigos, Filmes

Sete coisas que queremos ver em Rogue One: A Star Wars Story

Rogue One: A Star Wars Story pode ser classificado como o lançamento mais misterioso do ano. Mesmo o seu trailer oficial deixa mais perguntas que respostas na mente dos fãs, que até então estavam ocupados demais especulando sobre o Episódio VIII, que chega aos cinemas apenas em 2017. A fórmula está dando certo em todos os lançamentos da Disney. Quem é Jyn Erso? Seria ela uma agente imperial, ou uma rebelde infiltrada nas entranhas da ditadura opressora de Palpatine? Vamos deixar as dúvidas e especulações de lado por um instante – afinal, é o que a internet sabe fazer de melhor – e mencionar SETE COISAS QUE QUEREMOS VER EM ROGUE ONE: A STAR WARS STORY em outra lista do Cinematecando.

1. FIQUE FORA DISSO, HAN SOLO

Pois é. A morte de nosso contrabandista favorito em O Despertar da Força doeu. E com a expansão do universo cinemático de Star Wars, é perfeitamente possível que Han Solo retorne às telonas nas próximas antologias. Mas será que há espaço para ele em Rogue One? No início de sua jornada com Luke e Obi-Wan, Han e Chewie estavam interessados em apenas uma coisa: dinheiro. A comoção pela causa rebelde fez parte de seu arco de personagem em Uma Nova Esperança (1977), onde partiu de um mercenário frio e aproveitador para um herói condecorado. Tais argumentos são suficientes para demonstrar que não há espaço para Han Solo em uma antologia como Rogue One. Inserir o herói na trama seria contraditório… Quem sabe na próxima. 

2. DARTH VADER

Durante a produção de Rogue One, rumores apontavam que a LucasFilm estaria elaborando uma armadura fiel ao modelo utilizado por Darth Vader em 1977 (na época, interpretado por David Prowse). Apesar de ser apenas um boato, a informação alimenta expectativas de que o vilão retornaria ao cinema. O mesmo apareceu recentemente no universo expandido, na animação Star Wars: Rebels em um dos grandes momentos da segunda temporada. Vale a pena conferir clicando aqui.

3. A FORÇA

O diretor Gareth Edwards já declarou que Rogue One não contará com elementos pontuais dos filmes de Star Wars – entre eles, os Cavaleiros Jedi. Mas isso significa que a Força não terá nenhum tipo de manifestação? A Força é muito mais que a capacidade de mover objetos e controlar mentes. A Força levou R2-D2 e C-3PO ao encontro de Luke em Uma Nova Esperança; e deu a oportunidade de Qui-Gon Jinn e Anakin Skywalker se conhecerem em A Ameaça Fantasma. Existem maneiras sutis de inserir a Força em um filme como Rogue One e nos passar a impressão de “Ei, eu estou assistindo Star Wars”.

4. LIGAÇÕES COM O DESPERTAR DA FORÇA

A principal hipótese para tal ligação é: Jyn Erso é a mãe de Rey. O que entra em contradição com outras teorias que sugerem origens diferentes para a personagem. Duvidamos muito que isso seja verdade, pois a LucasFilm está guardando os segredos de Rey para o Episódio VIII. Faz mais sentido, certo? Existem formas mais plausíveis de atar os nós entre Rogue One e O Despertar da Força, como uma aparição discreta de Kes Dameron, pai de Poe Dameron e exímio piloto da aliança rebelde, apresentado na HQ Shattered Empire, de 2015. Acha difícil? Lembre-se que alguns personagens de O Despertar da Força foram extraídos do livro Marcas da Guerra, publicado no Brasil pela Editora Aleph.

5. O FINAL

Vamos contar um segredo: O primeiro parágrafo do texto inicial de Uma Nova Esperança traz spoilers de Rogue One

“É um período de guerra civil. Partindo de uma base secreta, naves rebeldes atacam e conquistam sua primeira vitória contra o perverso Império Galáctico. Durante a batalha, espiões rebeldes conseguem roubar os planos secretos da arma decisiva do Império, a ESTRELA DA MORTE, uma estação espacial blindada com poder suficiente para destruir um planeta inteiro.”

Ok, isso não é bem um spoiler, mas já imaginou como seria emocionante finalizar o filme com a primeira cena de Uma Nova Esperança? Isso poderia dar créditos a aqueles que esperam uma aparição de Darth Vader na antologia.

6. CHEGA DE TRAILER

Um consenso entre os fãs de Star Wars sobre O Despertar da Força: Os trailers estragaram parte da experiência. Lembra do momento em que você deixava o cinema pensando nas semelhanças brutais entre o último lançamento e Uma Nova Esperança? Muitos já estavam esperando isso por conta da grande quantidade de trailers e TV spots lançados, repetindo o problema de Vingadores: Era de Ultron. Uma infinidade de teasers, versões orientais, propagandas do Disney Channel… Era possível montar a cronologia da história com tanta informação, e nós gostaríamos de reservar o clima de Rogue One para o dia 15 de dezembro.

7. SEJA DIFERENTE

Star Wars segue uma receita. A única certeza que temos sobre o Episódio VIII é que ele começará com texto subindo as estrelas enquanto a bela trilha de John Williams nos encanta. E Rogue One pode fugir do padrão para se reafirmar como uma antologia. Sem a identidade dos filmes originais, sem transições feitas em PowerPoint, investindo em outra narrativa. Talvez, Rogue One possa ser um filme que chame a atenção de quem não conseguiu gostar da saga através dos filmes lançados até então. Caso a Disney consiga, preparem uma medalha.

Essas são nossas expectativas para Rogue One: A Star Wars Story, que chega aos cinemas no dia 15 de dezembro. Quais são as suas?