Crítica Tag

Quando a franquia Transformers foi iniciada em 2007, o primeiro filme se tornou a febre do momento graças ao dinamismo entre a direção de Michael Bay, o elenco formado por Shia Labeouf e Megan Fox, e o roteiro divertido que prendia bem a atenção. Em outras palavras, o filme continua sendo uma sessão pipoca de qualidade. Muita qualidade mesmo. Mas e agora? Pulando 4 filmes pra frente, o cenário mudou muito. A franquia se desgastou completamente ao inserir cada vez mais elementos, ao mudar completamente o elenco (com exceção dosRead More

Posted On julho 19, 2017By João Pedro AccinelliIn Críticas - Lançamentos

Crítica: De Canção em Canção

Pense em qualquer filme romântico cheio de diálogos rápidos de Woody Allen, qualquer obra de ação repleta de sangue de Quentin Tarantino, ou qualquer grande produção com explosões dirigida por Michael Bay. Nenhum desses populares cineastas possuem uma maneira tão específica de dirigir seus filmes quanto Terrence Malick. Para quem conhece o diretor, já sabe mais ou menos o que esperar de um filme como De Canção em Canção: ritmo lento, frases de efeito e atuações dramáticas. Sim, o filme se confirma com essas expectativas e, mesmo não sendo nemRead More

Posted On julho 5, 2017By Barbara DemerovIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Soundtrack

Esta semana nós postamos um texto sobre o filme Teus Olhos Meus, que possui já em seu título as palavras “poesia cinematográfica”. Bom, a coincidência é que uma das estreias desta semana também pode ser considerada da mesma forma. Soundtrack é um longa que precisa ser visto desde o princípio com a intenção de mergulhar completamente para dentro da história, caso contrário, não trará a intensidade necessária para compreender e se emocionar. Acredite: a história pode tocar até o fundo de sua alma se você estiver apto(a) a imergir na históriaRead More

Posted On julho 5, 2017By Caio VechiatoIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Carros 3

Vamos tirar algo do caminho: nunca entendi a existência da franquia Carros, muito menos o seu “conceito”. Iniciada em 2006, a série cinematográfica é uma das mais lucrativas para o aclamado estúdio Pixar, porém é também a menos popular com os críticos, atingindo seu ponto baixo com o fraquíssimo Carros 2, em 2011. Parecia uma mudança de ares para Pixar, ofuscada pela nova Disney Animation, responsável pelos sucessos Detona Ralph, Enrolados e Frozen. No entanto, o estúdio se reergueu lentamente até, em 2015, emplacar o grande fenômeno Divertidamente, reconquistando oRead More

Posted On julho 5, 2017By João Pedro AccinelliIn Filmes, Rebobinando

Rebobinando: Digam o que Quiserem (1989)

A adolescência. Possivelmente o período mais marcante de nossas vidas. É quando começamos a sentir o peso das responsabilidades, quando começamos a conhecer o amor e suas complicações, quando o mundo todo parece estar caindo sobre nós e as pressões sociais aumentam a cada dia. Obras-primas dos anos 80 como Gatinhas e Gatões (1984), Clube dos Cinco (1985) e Curtindo a Vida Adoidado (1986) fizeram do diretor e roteirista John Hughes um mestre da temática adolescente. Mas nem todos se lembram de um outro grande clássico da década, escrito e dirigidoRead More
Por Lucas Walderez Quem acompanha de perto, sabe que o cinema brasileiro é rico em obras fantásticas. Desde o humor de O Auto da Compadecida, até a ação de Tropa de Elite. Mas um pouco mais a fundo, adentrando a parte menos exposta do cinema nacional, existem obras fantásticas repletas de roteiros incríveis e personagens esplêndidos. Em Teus Olhos Meus, filme dirigido por Caio Sóh, encontra-se ambas as coisas. A estória é genial e os personagens têm características extremamente marcantes. Gil é um rapaz de 20 anos, órfão, criado porRead More

Posted On julho 3, 2017By João Pedro AccinelliIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Um Instante de Amor

Filmes de romance já viveram seu auge de popularidade. Ainda que hoje o público amante do gênero não seja pequeno, é minúsculo ao se comparar com a paixão contida nos tempos do cinema clássico de Hollywood, que com um roteiro sempre idealizado e uma direção açucarada, se tornou repetitivo ao longo das décadas. O uso de clichês e resoluções óbvias para entreter o expectador passou a enjoar o público gradualmente, visto que hoje o gênero sofre uma grande repulsa por parte de muitas pessoas. Nesse contexto, filmes românticos que fogemRead More

Posted On julho 3, 2017By Barbara DemerovIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Homem-Aranha: De Volta ao Lar

Homem-Aranha: De Volta ao Lar não é um filme comum. Toda a espera e todo o hype já provam o quanto ele é importante. Por isso, já estão aparecendo diversas comparações com Homem-Aranha 2, que todo o mundo nerd sabe que é um dos melhores filmes de super-heróis de todos os tempos. Porém, no meu ponto de vista, em certos casos não dá para entender essa coisa de já sair comparando um filme com o outro porque cada obra é um trabalho individual, não importa se ambas dividem o mesmoRead More

Posted On junho 29, 2017By Caio VechiatoIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Okja

Qualquer um que tenha visto um filme do sul-coreano Bong Joon Ho sabe que o diretor, assim como alguns de seus conterrâneos, de louco tem… bastante! Bong, que dirigiu os excelentes O Hospedeiro e O Expresso do Amanhã, provou-se um exímio contador de histórias, frequentemente navegando por tons e temáticas distintas com uma facilidade de dar inveja aos mais audaciosos cineastas. Após assistir a seu novo longa Okja, lançado mundialmente pela Netflix, fica ainda mais explícita a acidez de sua proposta, que possivelmente levaria à sua rejeição pelas grandes redesRead More

Posted On junho 28, 2017By Barbara DemerovIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Meu Malvado Favorito 3

Franquias de animação, se prolongadas por vários filmes, correm o risco de sair do radar do público que se apaixonou no início. Infelizmente é o que houve com Shrek e Era do Gelo, franquias que se tornaram ainda mais infantis e que perderam o público jovem/adulto que conquistaram antes. Felizmente, a franquia de Meu Malvado Favorito não se encontra nessa área – pelo menos, não ainda – e seu terceiro capítulo consegue tirar boas risadas do público jovem e adulto, por mais que o foco seja o infantil, é claro.Read More