Arquivos Crítica | Página 3 de 38 | Cinematecando

Crítica Tag

Posted On maio 30, 2018By João Pedro AccinelliIn Games

Crítica: Detroit – Become Human

Quantic Dream e David Cage voltam em sua melhor forma com jogo de ficção-científica e aventura de encher os olhos Liderada por seu fundador David Cage, a desenvolvedora Quantic Dream sempre foi expert em trazer jogos interativos com diferentes escolhas e consequências. Após um longo tempo de espera desde seu último projeto, finalmente podemos matar a saudade destas histórias tão bem escritas e desses belíssimos gráficos. Em Detroit: Become Human, Cage resgata a ótima condução de suspense e envolvimento dramático presente em Heavy Rain, junto à sensação de adrenalina eRead More

Posted On maio 23, 2018By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Tully

Diablo Cody e a inteligência emocional Tully, nova parceria entre o diretor Jason Reitman (Amor Sem Escalas, Refém da Paixão) e a roteirista Diablo Cody (Garota Infernal, Ricki and the Flash: De Volta pra Casa) é a terceira parte de uma trilogia que fala sobre amadurecimento. Essa ‘trilogia do amadurecimento’ iniciou em 2007 com Juno, seguiu com Jovens Adultos (2011) e, agora, encerra com Tully. Cada um destes filmes relatam fases de suas personagens e como estas lidam com o inexorável tempo e suas mudanças e contingências. Juno é sobre crescer mais rápidoRead More

Posted On maio 22, 2018By Giovanna ArrudaIn Críticas - Séries, Séries

Crítica: Riverdale – 2ª Temporada

Riverdale se propõe a ser uma versão subversiva dos clássicos quadrinhos A Turma do Archie e cumpre muito bem essa proposta, porque mesmo trazendo inspirações dos personagens originais e situações por vezes caricatas, consegue ser uma série adolescente profunda, relevante e misteriosa. A série veio para ocupar um lugar em que não se imaginava que uma série adolescente iria chegar, com seu misto de Gossip Girl, Twin Peaks e até Pretty Little Liars. A história dos habitantes dessa pequena cidade consegue manter o espectador ligado à história e ansiando o próximo episódio, eRead More
Mesmo não sendo tão consistente quanto Rogue One, novo derivado de Star Wars acerta no tom ao contar história do contrabandista mais querido da saga É difícil entrar em uma sala de cinema sem qualquer expectativa com relação a um novo filme da saga Star Wars, por mais que ele não faça parte do cânone principal e não envolva a família Skywalker. Porém, assim como aconteceu com Rogue One, que surpreendeu até mesmo os mais céticos com uma história consistente sobre a guerra contra o Império, o filme solo de Han…Read More
Imagem do filme Deadpool 2

Posted On maio 20, 2018By Caio LopesIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Deadpool 2

Ryan Reynolds volta como o mercenário irreverente numa sequência que poderia forçar mais a barra O elemento surpresa fez maravilhas para o primeiro longa do mercenário Deadpool. Ao menos no antro estagnado dos super-heróis, o humor com quebras da quarta parede era o grande diferencial da volta de Ryan Reynolds ao personagem que quase morreu de vez com o enfadonho X-Men: Origens – Wolverine. Após seu retorno de imenso sucesso em 2016, o mercenário irreverente ganha uma nova aventura, seguramente intitulada de Deadpool 2 (torcia para que The Second ComingRead More

Posted On maio 13, 2018By João Pedro AccinelliIn Críticas - Séries, Séries

Crítica: The Rain (1ª Temporada)

Mesmo com falta de originalidade em seu enredo, primeira série dinamarquesa Original Netflix impressiona e diverte Como fazer com que o espectador se interesse e se impressione com mais uma história sobre um vírus mortal que se espalha (a qual já estamos cansados de ver) e um grupo de pessoas que tenta sobreviver a todo custo? Há alguns dias eu acharia impossível, mas a abordagem dinamarquesa (que aqui muitas vezes foge dos moldes tradicionais americanos) de The Rain consegue dar um toque de originalidade de maneira peculiar. Não por contaRead More

Posted On maio 9, 2018By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: A Noite do Jogo

“Hello, I want to play a game…” A frase é de Jigsaw – personagem da franquia Jogos Mortais – de filmes com violência e muito sangue. Assim como também é A Noite do Jogo: violência… sangue… e (muito) humor. A Noite do Jogo, nova empreitada cômica da dupla de roteiristas (agora, cada vez mais diretores) John Francis Daley e Jonathan Goldstein, conta a história de Max (Jason Bateman) e Annie (Rachel McAdams), casal que organiza noites de jogos junto de outros casais. Brooks (Kyle Chandler), irmão de Max, resolve organizar umRead More

Posted On maio 8, 2018By João Pedro AccinelliIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Verdade ou Desafio

Terror teen produzido pela Blumhouse expõe roteiro incômodo e prejudicial, mas com um pouco de esforços é possível se deixar levar pela proposta Em Verdade ou Desafio, as semelhanças com o filme A Morte Te Dá Parabéns (2017) vão além de ambos serem filmes de terror/suspense com temática adolescente produzido pela mesma empresa. Ambos possuem falhas comprometedoras quanto a busca por reações realistas dos personagens, além de um roteiro que encontra maneiras preguiçosas de solucionar conflitos em determinadas cenas. Mas olha aí outra correspondência entre os filmes: ainda é possívelRead More
Imagem do filme Esplendor

Posted On maio 8, 2018By Caio LopesIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Esplendor

Filme de Naomi Kawase parte de proposta interessante mas se perde no desenvolvimento Exibido na 41ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, Esplendor parte de uma proposta muito interessante: seria uma audiodescrição algo limitador na experiência cinematográfica do espectador cego? Ou melhor: há como sintetizar a riqueza de um filme em apenas palavras? Com esse ponto de partida, a diretora e roteirista Naomi Kawase captura o interesse já de início. Para aqueles que não sabem o que é uma audiodescrição, trata-se de uma faixa de áudio gravada separadamente paraRead More

Posted On maio 8, 2018By João Pedro AccinelliIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Os Fantasmas de Ismael

Apesar de premissa tentadora e ótimas atuações, obra conta com roteiro intrincado e estraga-prazeres A história do filme acompanha Ismaël (Mathieu Amalric), um cineasta que, após um longo tempo, voltou a amar. Traumatizado devido ao súbito desaparecimento de sua esposa, Carlotta (Marion Cotillard), ocorrido há 21 anos, ele enfim consegue ter um relacionamento duradouro com a astrofísica Sylvia (Charlotte Gainsbourg). Entretanto, a reaparição de Carlotta abala não só o relacionamento, como a própria estabilidade alcançada por Ismaël. O primeiro problema (porém não o maior) de Os Fantasmas de Ismael queRead More