As adaptações de anime mais emblemáticas do cinema | Cinematecando

Posted On 03/03/2017 By In Artigos, Filmes

As adaptações de anime mais emblemáticas do cinema

Ghost in the Shell nunca esteve tão perto de sua estreia. E para os fãs do anime cyberpunk, o longa pode representar muito mais que uma simples adaptação norte-americana. A cultura asiática possui títulos de expressão, influenciando produções de caráter gigantesco no ocidente. Quer um exemplo? Matt Duffer, um dos produtores de Stranger Things, ressaltou que o anime Elfen Lied foi uma das referências para a concepção da personagem Eleven. The Matrix, das irmãs Wachowski, também não nega suas influências em Akira e no próprio Ghost in the Shell.

Protagonizada por Scarlett Johansson, a nova aposta da Paramount tem a oportunidade de resgatar o prestígio de séries orientais no cinema hollywoodiano. Mas adaptações nunca deixaram de aparecer na terra do sol nascente, e até mesmo nos Estados Unidos. Listamos alguns live-action emblemáticos que fizeram muito barulho nas telonas. Pelo bem e pelo mal.

Samurai X (2012 – 2014)

Se você nasceu entre os anos 80 e 90, deve lembrar do anime Samurai X, que fez muito sucesso em suas exibições na Globo e no Cartoon Network. O desenho (ainda é tabu chamar anime de desenho?) se destacou pela qualidade e a violência, criando uma legião de fãs em todo o mundo. A série, ambientada na Era Meiji, segue a trajetória de Kenshin Himura, um ex-retalhador que jurou nunca mais matar. Mas é claro que sua reputação lendária como assassino o levaria aos combates outra vez

A série rendeu duas adaptações para live-action. E apesar dos diversos problemas narrativos e estruturais, agradou a maioria, com média de 82% de aprovação no Rotten Tomatoes. Destacamos as cenas de combate, storyboard e a direção. Apesar de seguir o mangá e o anime com fidelidade, a adaptação poderia ter sido melhor roteirizada.

Death Note (2006)

Um dos nomes mais poderosos da cultura nipônica moderna, Death Note também ganhará uma adaptação hollywoodiana em 2017. Mas há dez anos, a Warner Bros. Pictures se juntou com estúdios japoneses para criar a primeira versão live-action do anime. Dessa vez os roteiristas tiveram mais liberdade para trabalhar, de uma maneira que a história não ficou limitada à versão de Tsugumi Ohba e Takeshi Obata.

Adaptações são polêmicas, e não importa se estamos falando de uma obra oriental ou ocidental. Mas as alterações feitas em Death Note melhoraram sua narrativa, criando senso de urgência e ação em momentos monótonos do mangá. A computação gráfica utilizada na animação do shinigami Ryuuku é datada mesmo para um filme de 2006. Aliás, este nunca foi um forte do cinema nipônico. Vale a suspensão de descrença.

Oldboy (2003)


Curiosamente, Oldboy é a versão sul-coreana do mangá japonês de mesmo nome. O live-action fez tanto sucesso que venceu o Grand Prix do Festival de Cannes de 2004, sendo ovacionado pelo representante do júri na ocasião, Quentin Tarantino. Em uma pesquisa realizada pela CNN em 2008, Oldboy entrou para a lista das dez melhores produções asiáticas de todos os tempos.

Acompanhamos a história de Oh Dae-su, um homem que é mantido em cárcere por quinze anos sem conhecer sequer os motivos de seus inimigos. Ao sair da prisão, Dae-su descobre que está envolvido em uma conspiração, e precisa enfrentar desafios violentos para obter sua vingança.

Fullmetal Alchemist (2017)


Após duas versões em anime, Fullmetal Alchemist volta à evidência para uma adaptação live-action um tanto quanto misteriosa. Pouco foi mostrado sobre o filme, previsto para chegar aos cinemas japoneses em dezembro de 2017. E isso é preocupante, tendo em vista que Fullmetal Alchemist é considerado um dos melhores títulos de seu gênero.

Os efeitos estão acima da média, se compararmos com filmes asiáticos recentes. Mas a atmosfera ainda causa muito estranhamento. Diferente das adaptações mencionadas em nossa lista, Fullmetal Alchemist se passa em um país fictício, inspirado na Alemanha dos anos 1930. Logo, como você pode deduzir, teremos atores orientais com características européias na maioria dos papéis.

Vale a pena esperar por mais conteúdo para tomar partido, mas as condições mostradas pela Warner Bros. Pictures até o momento não são animadoras.

Dragonball Evolution (2009)


Em uma lista sobre as adaptações mais emblemáticas, este título não poderia ficar de fora. Imagine um filme tão ruim – mas tão ruim – que o diretor chegou a pedir desculpas para os fãs. Pois bem, isso define o fiasco de Hollywood ao tentar resgatar uma das franquias mais amadas por gerações de espectadores.

Dragonball Evolution tem 14% de aprovação no Rotten Tomatoes. E até que os críticos foram benevolentes com a nota. A única coisa que realmente convence é a interpretação de Emmy Rossum como Bulma, mas isso não é suficiente para tornar o filme sequer assistível. Em 2009, o crítico Steve Biodrowski, do Cinefantastique, apontou Dragonball Evolution como um claro exemplo de que produtores ocidentais não deveriam se meter com obras asiáticas. Eis que fica a dúvida: Será que Ghost in the Shell será capaz de apaziguar a situação? Dedos cruzados…