Diego Olivares, Autor em Cinematecando | Página 4 de 9

All posts by Diego Olivares

Crítico de cinema, roteirista e diretor. Pós-graduado em Jornalismo Cultural. Além do Cinematecando, é colunista do Yahoo! Brasil

o mau exemplo de cameron post
Controlar o incontrolável “Cura gay”, identidade de gênero, influência da religião no comportamento sexual de quem está se descobrindo. São temas de debate na sociedade mundial contemporânea e também de O Mau Exemplo de Cameron Post, filme que se aproveita do timing para ganhar ainda mais relevância, haja visto o prêmio outorgado pelo júri conquistado no início deste ano no Festival de Sundance, muito por conta da necessária discussão que gera. O roteiro, adaptado de livro escrito por Emily M. Danforth, se passa na primeira metade dos anos 90, umaRead More
em chamas critica

Posted On outubro 22, 2018By Diego OlivaresIn Críticas - Lançamentos, Filmes

42ª Mostra – Crítica: Em Chamas

Fogo que arde sem se ver Em dado momento de Em Chamas, o jovem protagonista Jongsu (vivido por Ah-In Yoo), um aspirante a escritor, confessa que está com dificuldade para elaborar seu primeiro romance literário porque não sabe de quase nada sobre o mundo. Até o final do filme, certamente ele terá aprendido um par de coisas, com direito a muito sofrimento pelo caminho. A esta vontade de saber mais sobre as grandes questões da existência, sua amiga Haemi (Jong-seo Jeon) dá o nome de “grande fome”, algo bem maisRead More
culpa critica

Posted On outubro 22, 2018By Diego OlivaresIn Críticas - Lançamentos, Filmes

42ª Mostra – Crítica: Culpa

Bomba-relógio minimalista O cineasta estreante Gustav Möller não precisou de muitos elementos para construir um thriller explosivo. Há basicamente um único cenário e um único ator em cena durante Culpa, que se passa em tempo real. Estamos no meio do plantão da central de emergências da cidade de Copenhague, capital da Dinamarca. O policial Asger Holm (Jakob Cedergren) está na véspera de ir a julgamento, por motivo que só será revelado mais adiante, responde de forma ríspida quando é abordada por uma jornalista para falar sobre o caso e estáRead More
a casa que jack construiu critica
Lars Von Trier quer te provocar. Encara? A Casa que Jack Construiu é o filme mais provocante já lançado por Lars Von Trier até aqui. Qualquer espectador iniciado no cinema do controverso diretor dinamarquês sabe que isto não representa pouca coisa. O homem que já apresentou cenas de mutilação, sexo quase explícito e violência das mais diversas formas, propõe em sua novo longa uma pergunta ao público: é possível abdicar dos julgamentos morais e contemplar uma obra apenas pelos seus quesitos rigidamente artísticos, como a beleza estética e a capacidadeRead More
a favorita critica

Posted On outubro 18, 2018By Diego OlivaresIn Críticas - Lançamentos, Filmes

42ª Mostra – Crítica: A Favorita

Realeza como palco do teatro do absurdo Dente Canino, O Lagosta e O Sacrifício do Cervo Sagrado colocaram o diretor grego Yorgos Lanthimos entre os principais cineastas da atualidade. Seus longas têm como assinatura premissas bizarras, personagens capazes de cometer atrocidades e um tipo de encenação surrealista, como se os atores estivessem em outra chave em relação ao mundo habitual. A Favorita mantém alguns destes elementos, mas demonstra nítida e louvável preocupação de Lanthimos em não se repetir. Trabalhando pela primeira vez num filme de época, ele ainda cria situaçõesRead More
guerra fria critica

Posted On outubro 17, 2018By Diego OlivaresIn Críticas - Lançamentos, Filmes

42ª Mostra – Crítica: Guerra Fria

Amor em conflito Trabalhando com a mesma fotografia em preto e branco do consagrado Ida, vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro em 2014, o cineasta polonês Pawel Pawlikowski volta a mexer nas cicatrizes de seu país. Agora é a vez de Guerra Fria, que lhe valeu o prêmio de melhor direção no Festival de Cannes 2018. O longa começa com diversas cenas de músicos poloneses se apresentando. Estamos no final da década de 40, a Segunda Guerra ficou para trás e Estados Unidos e a União Soviética disputam aRead More
a rota selvagem critica

Posted On outubro 17, 2018By Diego OlivaresIn Críticas - Lançamentos, Filmes

42ª Mostra – Crítica: A Rota Selvagem

Aprender a recomeçar A figura de linguagem contida no cerne de A Rota Selvagem não é das mais originais: tanto o menino Charley (Charlie Plummer) como o cavalo por quem se afeiçoa são tidos como pangarés, atletas anteriormente considerado promissores abandonados à própria sorte em um determinado momento da vida e que precisam um do outro para sobreviver. É uma história clássica de amadurecimento, aqui contada de um jeito correto pelo diretor e roteirista Andrew Haigh, adaptando o livro de Willy Vlautin, mesmo que sem a pungência acachapante de 45Read More
poderia me perdoar critica
Gênia incompreendida ou parasita da fama alheia? Quem já assistiu ao reality show Trato Feito, do History, sabe que o território de vendas de relíquias supostamente assinadas por personalidades é vasto tanto para lucros, quanto para grandes fraudes. Quando alguém surge naquela loja de penhores tentando negociar, por exemplo, um documento autografado por alguma celebridade, precisa antes passar pelo crivo de um especialista, que irá certificar a autenticidade daquele item. Acontece que nem sempre foi assim, e teve quem conseguiu levantar um bom dinheiro forjando cartas de grandes autores atéRead More
jose critica

Posted On outubro 16, 2018By Diego OlivaresIn Críticas - Lançamentos, Filmes

42ª Mostra – Crítica: José

Me Chame Pelo Seu Nome no coração da América Central Ainda que haja quem não esteja disposto a admitir, existe muito em comum entre a periferia brasileira e a Guatemala, um dos países mais pobres do mundo e cenário de José. Esta é uma das primeiras coisas que salta aos olhos no longa dirigido por Li Cheng, ao vermos as ruas superpovoadas de sobrados, pequenos comércios e espaços de cultos fervorosos, ocupados por pessoas simples fazendo o que podem para levar suas vidas. Se a rotina ali é pesada paraRead More
julia e a raposa critica

Posted On outubro 16, 2018By Diego OlivaresIn Críticas - Lançamentos, Filmes

42ª Mostra – Crítica: Julia e a Raposa

Um conto melancólico de mãe e filha Logo nas primeiras cenas de Julia e a Raposa, filme escrito e dirigido por Inés Maria Barrionuevo, mãe e filha chegam a uma casa fechada há muito tempo, empoeirada, suja e com itens roubados por invasores que estiveram por ali. O cenário é sombrio, e parece o reflexo de sua protagonista, interpretada por Umbra Colombo, mulher tomada pela melancolia, ainda em luto pela perda do marido. O estado de espírito de Julia contrasta com a vivacidade da filha de doze anos, Emma (VictoriaRead More