Crítica: Todas as Razões para Esquecer | Cinematecando

Posted On 27/02/2018 By In Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Todas as Razões para Esquecer

Johnny Massaro evidencia seu carisma habitual na comédia romântica do diretor Pedro Coutinho

Antônio, interpretado por Johnny Massaro, é um jovem adulto que se vê totalmente perdido na vida após o término de um relacionamento de dois anos. Desesperado para esquecer sua ex (Bianca Comparato), Antônio se vê recorrendo a todos os métodos possíveis para que a dor passe logo, mas se esquece que é preciso viver a dor para que ela termine. É fácil para o público em geral se conectar com a história e com o personagem principal, afinal, quem nunca teve o coração partido ou se sentiu completamente perdido na vida?!

Mas, mais que isso, o filme Todas as Razões para Esquecer é também um retrato dos dias atuais, onde nos vemos sufocados em meio a trabalhos desgastantes, vidas sociais precárias, redes sociais onde todos são sempre felizes, milhões de aplicativos, cobranças de todos os lados… Uma rotina que nos faz esquecer de cuidar do principal: nossa saúde mental.

Em seu primeiro filme, o diretor Pedro Coutinho consegue trazer ao público uma comédia romântica regada com drama e com uma cara dos filmes indies que fazem sucesso fora do Brasil, onde a estética é um pouco mais trabalhada que os filmes nacionais padrão e a história segue sempre um caminho diferente do que se espera das comédias românticas.

O roteiro é claramente inspirado em filmes como Ela e Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, o que poderia transformar o filme em um monstro de colagens aleatórias, mas que na verdade é bem feito e torna o longa interessante dentro do cenário nacional, em que poucas coisas são feitas nesse formato recheado de flashbacks.

Johnny Massaro é um dos atores mais elogiados da geração atual pelos seus trabalhos na TV e no cinema, e nesse filme ele também não chega nem perto de decepcionar. Cheio de carisma, ele se apropria do personagem e o torna o mocinho/galã atrapalhado e com zero trato social (que lembra um pouco o Gus, interpretado por Paul Rust, da série da Netflix Love), que todo mundo torce para se dar bem no final.

Como na vida real, não existem grandes acontecimentos durante a história do filme, mas aquelas coisas de pouca intensidade que acontecem, quando somadas, são capazes de gerar uma grande mudança na vida do personagem principal – e, como resultado, traz um ensinamento para todos os que se sentem tão perdidos no mundo atual quanto ele.


Trailer


Ficha Técnica
Roteiro e Direção: Pedro Coutinho
Elenco: Johnny Massaro, Bianca Comparato, Regina Braga, Rafael Primot, Maria Laura Nogueira, Thiago Amaral, Victor Mendes.
Fotografia: João Pádua
Duração: 1h31

Johnny Massaro evidencia seu carisma habitual na comédia romântica do diretor Pedro Coutinho Antônio, interpretado por Johnny Massaro, é um jovem adulto que se vê totalmente perdido na vida após o término de um relacionamento de dois anos. Desesperado para esquecer sua ex (Bianca Comparato), Antônio se vê recorrendo a todos os métodos possíveis para que a dor passe logo, mas se esquece que é preciso viver a dor para que ela termine. É fácil para o público em geral se conectar com a história e com o personagem principal, afinal, quem nunca teve o coração partido ou se sentiu completamente perdido na vida?! Mas, mais que isso, o filme Todas as Razões para Esquecer é também um retrato dos dias atuais, onde nos vemos sufocados em meio a trabalhos desgastantes, vidas sociais precárias, redes sociais onde todos são sempre felizes, milhões de aplicativos, cobranças de todos os lados... Uma rotina que nos faz esquecer de cuidar do principal: nossa saúde mental. Em seu primeiro filme, o diretor Pedro Coutinho consegue trazer ao público uma comédia romântica regada com drama e com uma cara dos filmes indies que fazem sucesso fora do Brasil, onde a estética é um pouco mais trabalhada que os filmes nacionais padrão e a história segue sempre um caminho diferente do que se espera das comédias românticas. O roteiro é claramente inspirado em filmes como Ela e Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças, o que poderia transformar o filme em um monstro de colagens aleatórias, mas que na verdade é bem feito e torna o longa interessante dentro do cenário nacional, em que poucas coisas são feitas nesse formato recheado de flashbacks. Johnny Massaro é um dos atores mais elogiados da geração atual pelos seus trabalhos na TV e no cinema, e nesse filme ele também não chega nem perto de decepcionar. Cheio de carisma, ele se apropria do personagem e o torna o mocinho/galã atrapalhado e com zero trato social (que lembra um pouco o Gus, interpretado por Paul Rust, da série da Netflix Love), que todo mundo torce para se dar bem no final. Como na vida real, não existem grandes acontecimentos durante a história do filme, mas aquelas coisas de pouca intensidade que acontecem, quando somadas, são capazes de gerar uma grande mudança na vida do personagem principal - e, como resultado, traz um ensinamento para todos os que se sentem tão perdidos no mundo atual quanto ele. Trailer https://www.youtube.com/watch?v=QhFTZfTgoXw Ficha Técnica Roteiro e Direção: Pedro Coutinho Elenco: Johnny Massaro, Bianca Comparato, Regina Braga, Rafael Primot, Maria Laura Nogueira, Thiago Amaral, Victor Mendes. Fotografia: João Pádua Duração: 1h31

Todas as Razões para Esquecer

Direção
Roteiro
Elenco
Fotografia

Bom

70