All posts by Alexis Thunderduck

Posted On novembro 21, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Pai em Dose Dupla 2

Pai em Dose Dupla 2 é a continuação do filme de 2015, estrelando Will Ferrell e Mark Wahlberg. No primeiro, também dirigido por Sean Anders, os protagonistas entram em colisão como padrasto e pai, respectivamente. Agora, em Pai em Dose Dupla 2, Brad (Will Ferrell) e Dusty (Mark Wahlberg) já resolveram suas diferenças e criam suas famílias um ajudando o outro, mas com o Natal chegando junto a presença dos dois avôs (John Lithgow e Mel Gibson), as coisas voltam a esquentar entre Brad e Dusty. Quando se trata deRead More

Posted On novembro 1, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos, Filmes

Crítica: Terra Selvagem

O gênero faroeste, até a década de sessenta, era o mais popular dentro da indústria cinematográfica hollywoodiana. Com No Tempo das Diligências, do renomado diretor John Ford, que este gênero começou a alçar fama – assim como o ator John Wayne, que passaria a ser visto como uma estrela de cinema. De 1939 até os dias atuais, o faroeste, assim como tudo, transformou-se. Foram aparecendo diretores – de Cecil B. DeMille a John Sturges, de Howard Hawks a Anthony Mann, de Alejandro Jodorowsky a Sam Peckinpah – que apresentariam distintasRead More

Posted On setembro 7, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Dupla Explosiva

“Tic-tac, motherfucker!” Duas palavras! São necessárias apenas duas palavras para saber o que serão as quase duas horas de Dupla Explosiva. Este filme, que liderou as bilheterias nos Estados Unidos nos dois últimos finais de semana, tem objetivos bem claros: entreter e provocar riso ao espectador. Sem brilhantismo e apoiado sob um enredo tão genérico quanto a tradução brasileira do filme, estranhamente, Dupla Explosiva alça um nível satisfatório e consegue isso por dois fatores: Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson. Esse duo é o centro de um filme que conta aRead More

Posted On agosto 9, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Catálogo

Crítica: Christine – Uma História Verdadeira

Logo na abertura de Christine – Uma História Verdadeira, testemunhamos sua protagonista, Christine Chubbuck (Rebecca Hall), entrevistando o então presidente americano Richard Nixon. Na cena seguinte, em plano aberto, vemos que Christine, na realidade, está conversando com uma poltrona vazia. Em uma cena, o jovem e ainda desconhecido diretor Antonio Campos nos apresentou o que serão suas duas horas de filme. A história de uma mulher que lida/luta com os vazios de sua vida e rotina. Antonio Campos, nesse processo, entrega possivelmente um dos grandes filmes com este tema, infelizmenteRead More

Posted On junho 12, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Catálogo

Crítica: Uma História de Amor

Enamorados e amados terão, nesta segunda-feira (12), um dia que representa o amor e romantismo que impactou e ainda os move para frente, conscientes que esta caminhada se dá em par. É um dia de celebração e gratidão para muitos. Ainda mais, é um dia em que a inspiração emocional encontra-se dividida: entre o seu mais frágil e mais edificante. É sobre isto que trata Uma História de Amor, filme do diretor Jeff Nichols selecionado para a competição oficial de Cannes em 2016 e o ‘queridinho’ da última temporada deRead More

Posted On Maio 19, 2017By Alexis ThunderduckIn Artigos

Arte e ser humano: uma conexão

Irei direto ao ponto sobre o motivo para este texto! Ontem, logo pela manhã, acordei e comecei com este hábito típico web 2.0 de checar como anda o mundo, além do meu próprio. Dei de frente com algumas fotos do músico Chris Cornell e, na descrição, três letras: RIP (Rest in Peace, na tradução Descanse em Paz). Pouco mais de uma hora após cumprir aqueles protocolos e fazer aquelas tarefinhas básicas que todos fazemos: levar dog para passear, louça, etc… Mandei uma mensagem para a Barbara, editora-chefe do site, que tambémRead More

Posted On Maio 16, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Rei Arthur – A Lenda da Espada

O diretor inglês Guy Ritchie, de quarenta e oito anos, tem feito um nome de sucesso considerável através de seus projetos, principalmente entre o público. Assim, é com entusiasmo que se espera um de seus filmes. Com estreia para esta quinta-feira (18), Rei Arthur – A Lenda da Espada é a nova empreitada estilística de Guy Ritchie, que mostra (obs.: sim, nada de ‘conta’ ou ‘narra’) a vida de Arthur (Charlie Hunnam), um jovem das ruas da cidade de Londinium que desconhece suas origens até o momento em que retira da pedra aRead More

Posted On Abril 27, 2017By Alexis ThunderduckIn Artigos, Filmes

Tributo a Jonathan Demme (1944 – 2017)

Assim como meu artigo em homenagem ao diretor iraniano Abbas Kiarostami ano passado, agora, com o falecimento recente do diretor americano Jonathan Demme, também falarei um pouco da relevância deste premiado cineasta, tanto para o cinema quanto para este que vos escreve. Jonathan Demme, natural do estado de Nova York, alcançou seu ápice de sucesso nos anos 90 com seus filmes mais premiados como O Silêncio dos Inocentes e Filadélfia. Antes disso, Demme não se deixou passar despercebido, pois nos anos 80, dirigindo filmes mais leves e até cômicos como TotalmenteRead More

Posted On Fevereiro 20, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos

Crítica: Toni Erdmann

Um dos indicados ao Oscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro já está nas salas de cinema: Toni Erdmann. Este filme alemão (obs.: que possui alguns trechos falado em inglês) da diretora Maren Ade, teve sua première na competição do último Festival de Cannes e, apesar de ter saído do festival de mãos abanando, foi muito elogiado pela crítica internacional – tanto que em revistas como a Sight & Sound e a respeitadíssima Cahiers du Cinéma, foi eleito o melhor filme do ano de 2016. O terceiro longa desta diretoraRead More

Posted On Janeiro 14, 2017By Alexis ThunderduckIn Críticas - Lançamentos

Crítica: O Apartamento

Hoje, Asghar Farhadi é o maior e mais conhecido nome do cinema vindo do Irã. Apesar de jovem – apenas 45 anos de idade -, este diretor, desde Dancing in the Dust (2003), tem figurado entre alguns festivais de cinema pelo mundo, mesmo que não de grande porte no começo. Contudo, em 2009, isso iria mudar. Naquele ano, Asghar Farhadi saiu com o prêmio Urso de Prata de Melhor Diretor de um dos mais renomados festivais de cinema no mundo: o Festival Internacional de Cinema de Berlin. O filme responsável porRead More